Na noite da última terça-feira (14), em evento ocorrido no Salão Nobre das Laranjeiras, Mário Bittencourt oficializou a sua candidatura à presidência do Fluminense pela chapa "Tantas Vezes Campeão" e mostrou como irá administrar o clube se vencer as eleições do próximo dia 8 de junho.

Um dos pontos abordados foi a revitalização do estádio das Laranjeiras, campanha lançada por alguns sócios, membros do Conselho Deliberativo e outros torcedores. Segundo o candidato, o projeto contará com o seu total apoio, especialmente pelo fato de ele não gerar qualquer tipo de oneração aos cofres da agremiação.

Publicidade
Publicidade

"Sou defensor do projeto e darei apoio institucional. Se no momento for mais fácil revitalizar nosso estádio aumentando para 12, 13, 15 mil pessoas e jogar no Maracanã, façamos isso neste momento", disse Mário, que também não descartou a construção de um novo estádio no futuro.

"No momento, já temos o Maracanã e é urgente que o clube se reorganize financeiramente. No futuro, poderemos ter as Laranjeiras e um estádio para 40 e 50 mil. O que não posso é ter outro estádio para 20 em uma localização que não temos certeza que é a correta para nossa torcida", acrescentou.

Mário Bittencourt e Celso Barros: unidos nas eleições do Fluminense. (Divulgação/Armando Paiva/Tantas Vezes Campeão)
Mário Bittencourt e Celso Barros: unidos nas eleições do Fluminense. (Divulgação/Armando Paiva/Tantas Vezes Campeão)

Outro assunto de destaque ficou por conta da equipe de Futebol. Vice-presidente geral de Mário Bittencourt, Celso Barros, em uma hipotética vitória no pleito, seria o responsável pela organização e formação do elenco. Valendo-se de uma experiência adquirida quando presidia a Unimed, empresa médica que patrocinou o Fluminense por quase duas décadas, ele assegurou um time totalmente diferente dos moldes atuais, independente da grave crise financeira pela qual atravessa o clube.

Publicidade

"Hoje, já tenho 'n' contatos com pessoas de muito nome no futebol que querem ajudar o Fluminense, para que o clube possa ter um grande futebol mesmo com as dificuldades financeiras que sabemos", resumiu Celso, complementado por Mário Bittencourt.

"A gente é do futebol, eu e o Celso, e temos palavra. Sempre cumprimos o que prometemos, então, assim vamos resgatar a credibilidade do clube", finalizou.

A chapa formada por Mário Bittencourt e Celso Barros, inicialmente, era apoiada pelo grupo político Associação Nacional Tricolor de Coração. Nos últimos dias, o Flu Mais, os Esportes Olímpicos e o Democracia Tricolor também garantiram estarem juntos com a dupla.

Revelação da base é a novidade na Copa do Brasil

Enquanto os bastidores fervem com as eleições, dentro das quatro linhas, o foco do Fluminense é o confronto desta quarta-feira (15), às 21h30 (de Brasília), no Maracanã, diante do Cruzeiro. O primeiro entre ambos pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil. Para esse desafio, o técnico Fernando Diniz apresentou uma novidade na lista dos relacionados. Com apenas 16 anos, o meia Miguel Silveira, destaque do Sub-17, foi chamado pela primeira vez para estar entre os profissionais.

Publicidade

Miguel é considerado uma das joias da nova geração de Xerém. Desde março, vem alternando treinamentos com o elenco principal e do Sub-20. Há poucos meses, fez parte do grupo que disputou o Campeonato Sul-Americano Sub-17 pela Seleção Brasileira.

Para a primeira convocação no time profissional, Miguel Silveira ficou com a camisa 37. Ela pertencia ao atacante Everaldo, que está de saída rumo ao Corinthians.

Se o Flu terá Miguel Silveira, Pedro, Aírton, Bruno Silva e Mascarenhas, todos com problemas físicos, não estarão presentes.

Publicidade

Leia tudo e assista ao vídeo