Em meio à pandemia da covid-19, autoridades governamentais do Japão afirmaram que um auxílio emergencial será disponibilizado para cada cidadão, tendo em vista que muitos residentes estão sendo atingidos diretamente com a paralisação das atividades profissionais no país.

De acordo com informações fornecidas pelo G1, o governo do Japão pagará US$ 900 a cada um de seus cidadãos para compensar as perdas econômicas causadas pela pandemia. O valor exato a ser entregue será de 100.000 ienes (854 euros/US$ 929).

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, informou essa decisão no final da noite da última quinta-feira (16).

No início, autoridades governamentais japonesas haviam cogitado a possibilidade de atribuir três vezes esse valor a cada agregado familiar que perdeu renda em razão da covid-19, mas ficou decidido que o auxílio será por distribuir os 100.000 ienes a cada cidadão.

Informações apontam que o Japão é um dos países que está conseguindo controlar a proliferação do vírus. No país, 203 mortes foram registradas nesse período de quarentena e pouco mais de 10.000 casos foram confirmados.

Ranking dos países mais afetados

Nesse período de proliferação da covid-19, a maioria dos países foi afetado diretamente com o avanço da doença, incluindo os Estados Unidos, Espanha e Itália. Os três países citados foram os mais afetados com o vírus.

De acordo com informações da Organização Mundial de Saúde, os Estados Unidos estão em primeiro no ranking dos mais afetados, com mais de 30 mil mortes e cerca de 650 mil casos confirmados. Em segundo lugar está a Espanha, com 19.516 mortes e 185.309 casos confirmados da covid-19. Já na terceira posição está a Itália, país que foi mais atingido no início da proliferação do vírus, onde foram registrados 900 mortes diárias.

Informações apontam que a Itália registrou 22.170 mortes, 168.941 de casos confirmados com a doença e 40.164 pessoas curadas.

Brasil e auxílio emergencial

Em meio à paralisação das atividades profissionais em decorrência do vírus, muitas autoridades governamentais pediram para que o atual presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), sancionasse uma lei para beneficiar os trabalhadores autônomos que estão passando por dificuldades financeiras, já que não há a possibilidade de trabalho nessa quarentena, tendo em vista que muitas atividades foram suspeitas para que o vírus não se propague para outras partes do país.

De acordo com informações, o auxílio emergencial sancionado por Bolsonaro é no valor de R$ 600 para aquelas pessoas que trabalham de forma autônoma. O valor pode ter um acréscimo apenas para as mulheres chefes de família.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!