Em meio a pandemia da Covid-19, além dos seres humanos estarem sendo afetados diretamente com a paralisação das atividades profissionais, alguns animais também estão tendo problemas para se alimentar, tendo exemplo do rato. De acordo com informações cedidas pelo portal UOL, os roedores dos Estados Unidos (EUA) estão sofrendo para se alimentar nesse período de pandemia, já que as ruas estão desertas.

"Se você pega os roedores que foram estabelecidos na área ou na propriedade de alguém e eles estão indo bem, a razão pela qual eles estão indo bem é porque estão comendo bem", informou Bobby Corrigan, que é um especialista em roedores.

Devido à falta de comida, muitos roedores estão tendo que sobreviver da forma que pode. Informações apontam que muitos ratos estão praticando canibalismo, já que a falta de comida é presente no ambiente que eles vivem. Apesar de ser um método estranho dos roedores de se alimentarem, o especialista informou que essa é a forma mais adequada para eles sobreviverem em meio a essa pandemia.

"Então esses ratos estão brigando, agora os adultos estão matando os filhotes no ninho e canibalizando os filhotes", finalizou Bobby.

Diante desses problemas apresentados, autoridades governamentais do Estado Unidos estão tomando algumas mediadas para coibir parte desses problemas. Muriel Bowser, que é o atual prefeito da cidade de Washington informou que o controle de pragas é fundamental nas cidades americanas.

Países mais afetados com o vírus

A proliferação do novo coronavírus já se estendeu por muitos países, inclusive o Brasil. Cada governo aplica uma medida diferente para coibir o contágio do vírus. No ranking divulgado pelo Ministério da Saúde Internacional, os Estados Unidos é o pais que mais sofre com o avanço do vírus.

Durante essa quarentena, foram registrados 34.562 mortes, cerca de 675.243 casos confirmados e 53.616 pessoas que conseguiram se curar do vírus.

Em segundo lugar está a Espanha, apresentando 19.516 mortes, 185.309 casos confirmados e 74.797 pessoas curadas. As autoridades governamentais espanholas declararam um toque de recolher durante um determinado horário.

Essa é uma das medidas para coibir o avanço do novo coronavírus. Já em terceiro lugar está a Itália, registrando cerca de 22.170 mortes em decorrência do vírus, 168.941 casos confirmados e 40.164 pessoas que conseguiram combater o coronavírus.

Quando 'estourou' o surto do vírus no mundo, a Itália era o país que sofria mais com a pandemia, onde chegou a registrar 900 mortes em um único dia. Assim como a Espanha, autoridades governamentais da Itália também adotaram o toque de recolher.

Brasil

Tendo em vista dos números apresentados, de acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil é um dos países que está conseguindo controlar a proliferação do vírus. De acordo com últimas informações, cerca de 1.924 mortes foram registradas e pouco mais de 30.425 casos foram confirmados.

Recentemente, o atual chefe do executivo, Jair Messias Bolsonaro (sem partido), afirmou que o período de quarentena é fundamental para coibir o avanço do novo coronavírus, mas isso poderá acarretar em problemas financeiros nos cofres públicos. Por isso, ele chegou a sugerir que parte das atividades profissionais sejam restabelecidas no país, tendo em vista que o vírus só afeta quem está no grupo de risco, que seriam as pessoas com idade superior a 60 anos ou aquelas que possuem alguma doença venérea. Por isso ele informou que o retorno das atividades profissionais seriam apenas para as pessoas que não estão no grupo de risco.

Diante de tal idade, Bolsonaro foi bastante hostilizado nas redes sociais, onde muitos pessoas não foram favoráveis a ideia do chefe do executivo.

Especialistas da área da saúde brasileira informaram que ainda não tem previsão para retomar as atividades profissionais, já que ainda não possuem métodos para coibir o contágio do vírus.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Curiosidades
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!