O presidente americano Donald Trump deixou uma coletiva de imprensa após se irritar com questionamentos realizados por uma jornalista a respeito do coronavírus. Assim como todos os presidentes mundiais, o republicano está sendo bastante pressionado por parte da imprensa em relação aos métodos de coibir o avanço do novo coronavírus.

Weijia Jiang, de origem asiática e que é uma repórter da CBS News, fez algumas perguntas ao presidente e o questionou a repeito da testagem do coronavírus. A repórter perguntou a Trump o porquê dele continuar a acreditar que os Estados Unidos são o que mais se sobressai com o controle do vírus.

O republicano respondeu a repórter dizendo: "Por que isso importa?".

Em seguida, Jiang disse: "Por que isto é uma competição mundial quando, todos os dias, americanos ainda estão perdendo suas vidas?". Trump voltou a dizer que o coronavírus está afetando a população mundial, onde pessoas estão sendo mortas todos os dias e o país americano está tomando medidas para que novas pessoas não sejam mortas. Trump finalizou dizendo que não era para fazer perguntas relacionadas a levantada pela repórter a CBS News. Ele ainda informou que a responsabilidade de todo o caos gerado no mundo pelo coronavírus era da China.

''Não me pergunte, faça esta pergunta à China, OK?'', argumentou Trump. A jornalista se sentiu ofendida com o questionamento, tendo em vista que sua origem é chinesa.

Para amenizar o início de um conflito, o presidente passou a vez de realizar perguntas para uma outra repórter, mas Jiang continuava a pressionar Trump.

Para defender a colega, outras jornalistas fizeram as mesmas perguntas de Jiang para Trumo. Diante disso, o republicano se sentiu incomodado e abandonou a coletiva de imprensa.

Todos os repórteres e jornalistas ficaram surpresos com a atitude do presidente, tendo em vista que as perguntas feitas durante a entrevista eram relacionadas a problemas que esta afetando a toda população americana.

De acordo com as últimas atualizações sobre vitimados do coronavírus, os Estados Unidos registraram 81.539 mortes e 1,38 mi de casos confirmados da doença.

Estados Unidos

O coronavírus, além de afetar a população americana, está afetando os detentos de algumas penitenciárias. Presos que apresentam sintomas do coronavírus ou que estejam no grupo de risco estão ganhando liberdade provisória. Diante disso, alguns apenados de uma penitenciária localizada em Los Angeles estão compartilhando máscaras cirúrgicas e até mesmo copos descartáveis com intuito de serem contaminados com o vírus.

Pelas câmeras de monitoramento da penitenciária, os agentes ainda perceberam que os presos estavam tomando doses de água quente para informar a enfermeiros que estavam com febre, pois isso é um dos indícios do contágio do vírus.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!