O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), acabou se tornando alvo de uma suposta investigação realizada pela Receita Federal, o que acabou acarretando incômodos a ele e também a outros ministros da Suprema Corte brasileira.

Nesta sexta-feira (08), o magistrado do Supremo se manifestou ao "Estadão/Broadcast" a respeito de um suposto "vazamento" de uma apuração que estaria ocorrendo sob sigilo na Receita e que, além do ministro, poderia ter como alvo sua esposa, Guiomar Mendes.

Gilmar Mendes pretende processar auditores fiscais

Conforme relatos feitos ao Estadão, o ministro Gilmar Mendes foi taxativo ao afirmar que a "Receita não pode ser convertida numa Gestapo", em alusão à polícia relativa ao período da Alemanha nazista, segundo informação veiculada pelo jornal "O Estado de S. Paulo".

Vale ressaltar que a "Gestapo", polícia alemã durante o regime nazista, era responsável por investigações e também por tortura de opositores ao regime de Adolf Hitler.

De acordo com o magistrado do Supremo Tribunal Federal, estaria sendo acarretada, por meio essa ação respectiva, uma quebra de sigilo e suposto uso político da Receita Federal, em se tratando da apuração de crimes relacionados à lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio. Dessa forma, Gilmar Mendes pretende processar os auditores fiscais responsáveis pela investigação contra ele.

Além de considerar que a Receita Federal não poderia ser convertida numa Gestapo, Mendes concluiu que a Receita Federal também não poderia se tornar um "organismo de pistolagem de juízes e promotores". O ministro chegou a questionar "se eles fazem isso com ministro do STF, o que não estarão fazendo com o cidadão comum?". Entretanto, ao ser procurada para comentar as declarações do ministro Gilmar Mendes, a Receita Federal preferiu não se manifestar em relação ao respectivo caso.

Ação de Toffoli

Já o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, solicitou ao ministro da Economia, Paulo Guedes, à Procuradoria-Geral da República, por meio da procuradora Raquel Dodge e também ao secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, para que sejam adotadas "providências cabíveis", de modo que sejam direcionadas em torno das investigações de auditores da Receita Federal, em relação à possíveis fraudes no que tange a crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, tráfico de influência e ainda, ocultação de patrimônio, em se tratando do ministro Gilmar Mendes e de sua esposa, Guiomar Mendes.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Governo

Porém, a solicitação de providências feita pelo presidente do Supremo, Dias Toffoli, atende a pedido do próprio ministro Gilmar Mendes, a quem não haveria nenhum tipo de fato considerado concreto, em se tratando de documentos obtidos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo