O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, deu uma declaração nesta quinta-feira (21) em que afirma que irá fechar a fronteira com o Brasil. O presidente do país vizinho afirmou através do canal estatal VTV que a partir das 20h locais de hoje (21h em Brasília) a fronteira com o Brasil estará fechada "total e absolutamente, até novo aviso". "Vale mais prevenir do que lamentar", completou.

Além das pressões dos EUA, Maduro sofre também a pressão de países vizinhos, que pedem que ele aceite a entrada de ajuda humanitária no país, após pedido do auto-proclamado presidente interino Juan Guaidó.

No entanto, Nicolás Maduro já deixou bem claro que, para ele, essa pressão não passa de uma interferência externa na política de seu país e sua atitude demonstra que ele não pretende ceder.

O chavista também está estudando o fechamento da fronteira venezuelana com a Colômbia. Guaidó iniciou nesta quinta-feira (21) uma viagem em comboio de 800 km à fronteira da Colômbia, onde vai pressionar pela entrada da ajuda humanitária.

Maduro estuda também possibilidade de fechar a fronteira com outros países

Além do fechamento da fronteira com o Brasil, Maduro afirma que está estudando a possibilidade de também fechar a fronteira da Venezuela com a Colômbia. Por outro lado, Juan Guaidó pretende pressionar pela entrada de ajuda humanitária ao país, e por isso deu início a uma viagem que está sendo feita em comboio e deve percorrer cerca de 800 km até a fronteira da Colômbia.

No momento, Guaidó já é reconhecido por diversos países como o chefe de Estado legítimo da Venezuela e declarou que, através de seu movimento e apoiadores, pretende recolher toda ajuda já enviada por venezuelanos que moram nos Estados Unidos. O chefe interino, informa que essa ajuda será resgata por terra e mar neste próximo sábado e acredita que isso poderá amenizar a escassez de remédios e alimentos que tomou conta do país.

Juan também solicitou que outros venezuelanos se voluntariem para trabalhar e ajudar na distribuição dos produtos arrecadados. Segundo informação passada por ele, mais de 50 mil toneladas de produtos chegaram a Curaçao, vindas de Miami.

'Venezuela Aid Live'

O empresário britânico Richard Branson, fundador do Grupo Virgin, está a frente do show "Venezuela Aid Live" que acontecerá no próximo sábado (23), no lado colombiano da fronteira, onde os produtos estão armazenados.

Siga a página Política
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!