Anúncio
Anúncio

Um professor de história do colégio Santa Mônica Centro Educacional, no Rio de Janeiro, acabou sendo alvo de várias críticas após escrever na lousa "Bolsonaro está com pneumonia", como uma "frase motivacional". O caso aconteceu na última sexta-feira (8) e no mesmo dia o professor teria pedido demissão, segundo informou a escola.

Marcelo Souza, diretor de marketing do colégio, afirmou que aguardava o professor na segunda-feira para saber o motivo dele ter agido assim. Entretanto, o docente não apareceu mais na escola. De acordo com Souza, o professor teria ido durante o final de semana ao colégio informar sobre sua falha e pedir demissão. Ele também teria apagado todos os seus perfis nas redes sociais.

Anúncio

De acordo com a instituição, a postura do professor não condiz com a filosofia da unidade. Segundo a direção, o colégio é para fornecer conteúdo disciplinar e não ser usado como uma forma de se colocar opiniões pessoais sobre tal situação.

Saúde do presidente

Jair Bolsonaro continua se recuperando no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, após passar por uma cirurgia de retirada da bolsa de colostomia. Segundo último boletim médico, divulgado na terça-feira (12), ele está sem febre e sem dor abdominal e o quadro pulmonar do mandatário brasileiro encontra-se em evolução.

Os médicos afirmaram que o presidente está quase curado da pneumonia. Contudo, ele segue com as dietas e realizando os exercícios respiratórios.

Anúncio

Por determinação dos médicos, as visitas seguem restritas.

Na última segunda-feira (11), Bolsonaro teve alta da unidade semi-intensiva e foi para o quarto.

De acordo com informações do jornal O Globo, a previsão de alta para Bolsonaro está mantida para esta quarta-feira (13), conforme informou o cirurgião Antônio Luiz Macedo. O presidente já está há 16 dias internado.

Deputado do PSOL pediu desculpas

O deputado Edmilson Rodrigues, do PSOL, chegou a criar polêmica ao dizer em uma entrevista à Câmara que Bolsonaro "está para morrer". Aliados do presidente repudiaram as declarações de Edmilson, que mais tarde teve que se retratar.

O deputado do PSOL chegou a gravar um vídeo pedindo desculpas pelos seus dizeres.

Anúncio

Ele disse que preza pela vida e que acabou colocando suas palavras de uma forma errada. O deputado ainda poderá ser alvo do Conselho de Ética da Câmara.

O deputado estadual Delegado Francischini (PSL-PR) criticou Edmilson e o PSOL. "Intenções criminosas desse partido", escreveu em sua conta do Facebook.