O deputado federal Alexandre Frota (PSL-SP) se manifestou em relação a supostas brigas e também desentendimentos entre parlamentares e aliados do presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, em uma entrevista exclusiva ao site O Antagonista.

Vale ressaltar que o PSL alcançou, nesta quarta-feira (13), o número de 55 deputados federais, tornando-se a maior bancada da Câmara. A segunda maior bancada é a do Partido dos Trabalhadores (PT), que possui atualmente 52 deputados.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, após a vitória do presidente Jair Bolsonaro, algumas desavenças teriam se passado entre membros do PSL, principalmente entre integrantes da sigla em busca de protagonismo, já que muitos parlamentares que se elegeram seriam "marinheiros de primeira viagem".

Frota se manifesta sobre desavenças

Durante a realização da entrevista exclusiva, conforme captado em áudio, o deputado federal Alexandre Frota se irritou com uma pergunta relacionada às supostas confusões ou "brigas" entre os parlamentares de seu partido.

Um dos episódios que teriam causado desavenças no PSL é a briga pública entre um dos filhos do presidente Jair Bolsonaro, o vereador Carlos Bolsonaro, e o secretário-geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno, além de outros embates no partido, conforme relatado pelo jornalista Diego Amorim, d'O Antagonista.

O deputado Alexandre Frota afirmou que estaria se sentindo muito feliz no partido, porém, admitiu não querer saber "da briga desses caras".

Publicidade

Ao se referir ao PSL, o deputado foi taxativo: "o PSL nunca fez nada por mim, a não ser me dar uma legenda". Ao concluir, Frota demonstrou irritação e disse: "eu quero que se f...".

O parlamentar chegou a mencionar em vídeo que não se importa em relação às confusões no seu partido, nem em se tratando de alguns desentendimentos entre Bebianno e Carlos Bolsonaro, e nem mesmo em relação às brigas de Eduardo Bolsonaro e Joice Hasselmann.

Reforma

O Governo de Jair Bolsonaro ainda não alcançou uma unidade de parlamentares do próprio partido, o PSL, que constantemente têm se envolvido em diversas discussões.

Atualmente, uma das principais preocupações do governo se trata da aprovação da Reforma da Previdência Social, em que precisará de união de toda sua base aliada, não somente de sua própria sigla.

O presidente Bolsonaro teve alta hospitalar nesta quarta-feira (13), pela manhã, e já retornou a Brasília, para repousar no Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente da República e seus familiares, na capital federal.

Leia tudo