A defesa do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva está preocupada que a data do julgamento do caso do tríplex seja marcada sem aviso prévio. Segundo informações da coluna Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, os advogados do petista temem que o caso seja colocado em pauta nesta terça-feira (26). Então, em pedido ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), advogados pedem que tenham conhecimento da data de julgamento com antecedência de pelo menos cinco dias.

Este julgamento do caso tríplex no STJ é mais uma das tentativas da defesa do ex-presidente Lula em anular a condenação imposta ao petista.

Lula está preso desde o dia 7 de abril de 2018, na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Contudo, a defesa reuniu um manifesto com mais de 400 assinaturas de advogados e juristas que estariam indignadas com a condenação de Lula.

As assinaturas chegaram até os gabinetes de quatro ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Conforme o documento assinado, é enfatizado ser um "absurdo" a prisão do ex-presidente pelos crimes de Corrupção e lavagem de dinheiro.

Além do mais, consideram que o processo do tríplex não tem provas suficientes para ter prendido o petista. Contudo, questionam onde estariam os "recursos indevidamente apropriados" apresentados pela acusação e também onde estaria a conta bancária que mostra dinheiro sujo relacionado a Lula.

Defesa argumenta sobre a Justiça Eleitoral

Segundo informações do colunista Josias de Souza, do portal UOL, mesmo Lula já sendo condenado na sentença do tríplex, o pedido dos advogados visa a anulação. Dessa forma, tentam utilizar como base a recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), em que crimes comuns possam ser enviados para a Justiça Eleitoral.

A defesa defende a ideia de que o caso de Lula não deveria ter sido julgado pela Justiça Federal.

O argumento da defesa do petista é de que os crimes apontados contra Lula foram estruturados com base em arrecadações para custear campanhas eleitorais. Então, frisam que as investigações da Operação Lava Jato atribuíram ao ex-presidente um grande esquema de arrecadação de verbas, deixando em evidência a ocorrência de processo de âmbito eleitoral.

Desde que foi condenado, o ex-presidente Lula diz que é inocente de todas as acusações e que é vítima de uma perseguição política. Ainda conforme informações da UOL, a expectativa é que o ministro Félix Fischer submeta o julgamento do tríplex antes do dia 10 de abril.

Siga a página Lava Jato
Seguir
Siga a página Lula
Seguir
Siga a página Corrupção
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!