O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (7) que não concorda com algumas páginas da caderneta de Saúde da adolescente que trazem conteúdo de explicação sobre Educação sexual. Os dizeres do presidente foram realizados mediante uma transmissão ao vivo em uma rede social. Bolsonaro avisou que irá reeditar a caderneta que foi impressa pelo Ministério da Saúde e que é destinada para meninas de 10 a 19 anos. Enquanto um possível novo modelo não fica pronto, o mandatário sugeriu que os pais rasguem as páginas que possuem orientações sexuais que envolvem, enre outras coisas, o ensinamento de como colocar uma camisinha.

Bolsonaro mostrou a caderneta nas redes sociais e alertou para uma educação sexual que, segundo ele, não é condizente com essa faixa etária. Na página exibida por ele, há seis desenhos explicando a forma correta de usar um preservativo.

O presidente também mostrou o desenho de uma vulva com todas suas divisões. No texto também é destacado como higienizar a genitália feminina.

Bolsonaro foi folheando as páginas e fazendo várias críticas. Num dos artigos que fala sobre a sexualidade, uma ilustração mostra três casais de jovens, onde aponta que é nessa idade que começa a vontade de sentir o corpo um do outro. Em seguida, comenta-se sobre a masturbação.

Críticas

O presidente disse que essa caderneta foi impressa em grande quantidade durante o tempo em que Dilma Rousseff era a presidente da República.

Bolsonaro disse que existem algumas informações que são importantes e necessárias no folhetim, entretanto, o final da caderneta deixa a desejar.

O presidente deu uma sugestão para os pais e pediu para que eles leiam a cartilha antes de deixá-la nas mãos dos seus filhos. Caso eles vejam que assuntos desnecessários fazem parte do contexto da caderneta, o presidente pediu para que eles rasguem e evitem que os filhos leiam.

O mandatário brasileiro expôs o problema ao ministro da Saúde, Luiz Mandetta, e eles decidiram fazer uma nova cartilha. Ela terá menos informações, será mais barata e não terá as ilustrações no final.

Prevenção

Em entrevista ao jornal O Globo, o especialista em reprodução humana George Fassolas disse não concordar quando o presidente sugere que rasguem as páginas que ele considera inconveniente.

Para o especialista, isso seria um tipo de retrocesso, além de privar os adolescentes a terem informações preciosas sobre a educação sexual.

A mestre de Psicologia Comportamental pela UnB Kenia Xaxito também reprovou a retirada das informações da cartilha, segundo O Globo. Ela considerou uma atitude desnecessária tirar o material de circulação.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Siga a página Educação
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!