O deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP) publicou nas redes sociais que o neto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não faleceu de meningite meningogócica, conforme o Hospital Bartira, em Santo André (SP), havia informado. Arthur Lula da Silva tinha sete anos e era muito apegado ao ex-presidente, que cumpre pena na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. O petista foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro.

Conforme publicação da revista Fórum e postagem feita pelo próprio deputado petista, Padilha se mostrou incomodado e quis saber a razão das informações sobre o óbito do neto do ex-presidente terem sido vazadas.

De acordo com a matéria, o menino faleceu às 12h11 e o jornalista Ancelmo Gois, do jornal O Globo, informou a todos às 12h20, ou seja, um tempo bem curto.

De acordo com o parlamentar, nem mesmo alguns familiares sabiam da morte do garoto, incluindo o próprio pai da criança, Sandro Luís Lula da Silva. Ele soube da morte através do blog.

Questionamentos sobre o diagnóstico

Alexandre Padilha, que também é médico, questiona o diagnóstico fornecido pelo hospital. Conforme as informações, uma médica que é amiga da família teria dito que o menino não teve sintomas da meningite meningogócica e achou estranho o diagnóstico fornecido pelo hospital.

Tentando entender o motivo da morte da criança, Padilha pediu que fosse feito um diagnóstico completo no Instituto Adolfo Lutz.

Com a conclusão do instituto, o deputado garantiu que o menino não morreu de meningite.

Segundo o parlamentar do PT, existem dois crimes graves envolvendo a morte do neto de Lula. O primeiro caso seria o vazamento das informações do óbito, que chegaram rapidamente à imprensa. O segundo caso, é que houve um pânico por ser uma doença contagiosa.

Para o parlamentar, essa correria que surgiu das pessoas em busca da vacina que custa muito caro poderia ter sido evitado.

Lula comovido

O ex-presidente Lula conseguiu uma liberação da Justiça do Paraná para poder ir ao enterro do seu neto.

Ele estava bastante comovido, segundo informou familiares e amigos.

O ex-presidente chorou muito, recebeu cumprimentos e disse que ainda iria provar a sua inocência, como promessa ao neto. Em declarações do petista, durante velório, ele teria dito que quando morrer irá levar ao céu o diploma de sua inocência para o neto ver, já que, segundo Lula, o garoto pode ter sofrido muito bullying na escola em decorrência da prisão do avô.

Siga a página Lula
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!