Na última quinta-feira (23), ocorreu um fato que está sendo bastante comentado nas redes sociais. De acordo com pai de um aluno, um professor impediu que seu filho frequentasse suas aulas após o menino ter defendido o presidente Jair Messias Bolsonaro.

O pai do menino afirmou ao UOL que prestou um boletim de ocorrência contra a atitude do professor de História de seu filho de 12 anos. O ocorrido aconteceu por volta das 16h de quinta-feira na escola Cemei Eduardo Romualdo de Souza, localizada na zona oeste de Ribeirão Preto que fica a 313 km de São Paulo.

Segundo on depoimento prestado pelo pai do estudante, o ocorrido começou durante uma conversa entre seu filho e uma colega que estava falando a respeito do Governo Bolsonaro. Durante a conversa, a menina afirmou que o país vivia um período melhor na época do PT do que o atual na gestão do presidente Jair Bolsonaro. Em contrapartida, o filho dele respondeu para a colega que não concordava com a afirmação dela, pois o presidente não era culpado pela situação que o Brasil está passando.

O menino disse que Bolsonaro havia assumido a presidência há pouco tempo, e que não concordava em culpá-lo pela situação atual.

Durante o diálogo entre os colegas, o professor acabou ouvindo e conversou com os alunos, em seguida, ele decidiu realizar um debate em sala de aula e propôs uma discussão com toda a sala, questionando se concordavam com a afirmação da menina de que o Brasil era melhor na época em que o PT governava.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Governo

De acordo com o pai, ao final do debate, o professor afirmou para o menino que ele estava impedido de participar de suas aulas só por ter citado o nome do presidente.

Revoltado com a situação, o pai disse que levou o boletim de ocorrência a Felipe Miguel, que é o secretário de Educação de Ribeirão Preto. O pai afirmou que deseja que o professor seja punido por ter agido de tal forma, e espera que o afastem de suas funções: "Espero que ele seja afastado das suas funções. E que vá para Cuba ou Venezuela".

Secretaria investiga o ocorrido

A Secretaria de educação de Ribeirão Preto está investigando a denúncia feita pelo pai do menino de 12 anos, e garantiu que as devidas providências serão tomadas. Segundo o Sindicato dos Servidores Municipais da cidade, a direção busca informações mais apuradas acerca do ocorrido e informou que não conseguiu entrar em contato com o professor de História, mas garantiu que resolverá a situação.

Estudantes realizam protestos no Nordeste

Em sua primeira viagem como presidente ao Nordeste, o presidente Jair Bolsonaro chegou á região de helicóptero, com o intuito de desviar dos protestos de estudantes da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Os estudantes pretendiam protestar com um carro de som e munidos de cartazes na frente do Instituto Ricardo Brennand, em Recife.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo