Na última quinta-feira (23), ocorreu um fato que está sendo bastante comentado nas redes sociais. De acordo com pai de um aluno, um professor impediu que seu filho frequentasse suas aulas após o menino ter defendido o presidente Jair Messias Bolsonaro.

O pai do menino afirmou ao UOL que prestou um boletim de ocorrência contra a atitude do professor de História de seu filho de 12 anos. O ocorrido aconteceu por volta das 16h de quinta-feira na escola Cemei Eduardo Romualdo de Souza, localizada na zona oeste de Ribeirão Preto que fica a 313 km de São Paulo.

Segundo on depoimento prestado pelo pai do estudante, o ocorrido começou durante uma conversa entre seu filho e uma colega que estava falando a respeito do Governo Bolsonaro. Durante a conversa, a menina afirmou que o país vivia um período melhor na época do PT do que o atual na gestão do presidente Jair Bolsonaro. Em contrapartida, o filho dele respondeu para a colega que não concordava com a afirmação dela, pois o presidente não era culpado pela situação que o Brasil está passando. O menino disse que Bolsonaro havia assumido a presidência há pouco tempo, e que não concordava em culpá-lo pela situação atual.

Durante o diálogo entre os colegas, o professor acabou ouvindo e conversou com os alunos, em seguida, ele decidiu realizar um debate em sala de aula e propôs uma discussão com toda a sala, questionando se concordavam com a afirmação da menina de que o Brasil era melhor na época em que o PT governava.

De acordo com o pai, ao final do debate, o professor afirmou para o menino que ele estava impedido de participar de suas aulas só por ter citado o nome do presidente.

Revoltado com a situação, o pai disse que levou o boletim de ocorrência a Felipe Miguel, que é o secretário de Educação de Ribeirão Preto. O pai afirmou que deseja que o professor seja punido por ter agido de tal forma, e espera que o afastem de suas funções: "Espero que ele seja afastado das suas funções.

E que vá para Cuba ou Venezuela".

Secretaria investiga o ocorrido

A Secretaria de educação de Ribeirão Preto está investigando a denúncia feita pelo pai do menino de 12 anos, e garantiu que as devidas providências serão tomadas. Segundo o Sindicato dos Servidores Municipais da cidade, a direção busca informações mais apuradas acerca do ocorrido e informou que não conseguiu entrar em contato com o professor de História, mas garantiu que resolverá a situação.

Estudantes realizam protestos no Nordeste

Em sua primeira viagem como presidente ao Nordeste, o presidente Jair Bolsonaro chegou á região de helicóptero, com o intuito de desviar dos protestos de estudantes da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Os estudantes pretendiam protestar com um carro de som e munidos de cartazes na frente do Instituto Ricardo Brennand, em Recife.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!