Na manhã desta quarta-feira (19), o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o governador de São Paulo, João Doria, fizeram flexões de braço em evento na capital paulista. O momento foi registrado em um vídeo com duração de 30 segundos, divulgado pela assessoria de comunicação de João Doria.

No vídeo, os políticos, de terno e gravata, aparecem fazendo 10 flexões em 20 segundos em uma pista de atletismo do complexo. O exercício aconteceu durante um evento realizado no Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro, na Zona Sul de São Paulo.

Um grupo da escola de Educação Física da Polícia Militar realizava a contagem de flexões.

Bolsonaro participa de assinatura de termo

Na presença do presidente da República e do governador de São Paulo, o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) assinou com a Caixa Econômica Federal um termo que pretende contribuir para a inclusão social de crianças com deficiência.

O termo é para promover a ação esportiva de crianças com deficiência de 10 a 17 anos. O valor previsto para este investimento é de R$10 milhões em 4 anos.

Os recursos para o investimento serão do Fundo Socioambiental Caixa.

Segundo o governador Doria, esta parceria é um grande investimento para o país, visto que engloba estudantes das redes públicas e estaduais. "É um incentivo extraordinário para o Centro Paralímpico, um investimento para o Brasil”, disse Doria.

A ação esportiva oferecerá para as crianças as modalidades: natação, judô, futebol de 5, goalball, tênis de mesa e vôlei sentado.

No projeto ainda está previsto a disponibilização de material esportivo, transporte, lanche e professores habilitados para as crianças.

O presidente do CPB, Mizael Conrado, comemorou a parceria com Caixa e afirmou que a partir disso poderão ser criados mais centros de formação e ampliar o projeto para outras cidades do país.

O contrato assinado nesta quarta-feira (19) ainda necessita ser fechado ainda, porém, os termos já foram postos à mesa.

Além dessa parceria, a Caixa possui outro acordo com o CPB que foi realizado em 2017 e vigora até o final do ano de 2020.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães se emocionou e chorou ao contar a sua história durante o evento de assinatura do termo. Ele afirmou que a Caixa é um banco voltado ao povo e que estava realizando um patrocínio com os 27 estados do Brasil. Ainda pediu para que Michelle Bolsonaro, a primeira dama, fizesse o anúncio de que a Caixa realizaria a contratação de 2 mil pessoas com deficiência.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!