Este final de semana foi bem agitado para o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). Após se envolver em uma polêmica com os gestores da região Nordeste, ao se referir a eles, como “governadores de Paraíba”, o presidente decidiu sair em defesa do porta-voz do Governo, Otávio do Rêgo Barros.

O porta-voz foi duramente criticado nas redes sociais pelo deputado Marco Feliciano (Pode-SP), no último sábado (20).

No Twitter, Feliciano chamou Rêgo Barros de "incompetente e mal-intencionado", pois, segundo ele, a função de um porta-voz seria a de proteger o presidente e não expô-lo: "Rêgo Barros é incompetente ou mal-intencionado. Porta-voz serve para proteger, não para expor". Em seguida, Feliciano afirmou que Bolsonaro é um dos presidentes que mais foi exposta à mídia, em relação aos outros presidentes que fizeram parte da história do país.

Ainda na publicação, o pastor questionou se alguém se recordava de presenciar algum presidente recebendo a imprensa toda sexta-feira para café da manhã.

Mais críticas de Feliciano

Em outra publicação no Twitter, Feliciano completou os ataques feitos ao porta-voz e afirmou que além de incompetente, também seria usurpador.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Governo

O deputado escreveu ainda que Rêgo Barros não deveria estar cuidando de questões que envolvam a imprensa, pois, esta função seria, segundo ele, reservada ao Secretário de Imprensa do governo. O pastor afirmou que os artigos 23 e 39 do Decreto 9669 comprovavam sua opinião e finalizou questionando quem havia indicado Rêgo Barros para Bolsonaro.

Bolsonaro defende porta-voz do governo

Após as críticas feitas por Marco Feliciano a Rêgo barros, o presidente disse neste domingo (21) que está satisfeito com o posicionamento do porta-voz.

Segundo Bolsonaro, quem deu a ideia do café foi o porta-voz, e ele acatou.

Bolsonaro disse que tem recebido muitas críticas, não só de Feliciano como de outras pessoas, questionando a sua decisão de manter o café da manhã com os jornalistas: "não é o Marco Feliciano, muita gente fala contra e a favor, a maioria fala contra o café da manhã (com jornalistas)". Entretanto, Bolsonaro garantiu que mesmo com as críticas, iria manter o café com a imprensa.

Polêmica com governadores do Nordeste

Na última sexta-feira (19), Bolsonaro deixou escapar um momento de sua fala com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, na qual fazia referência aos governadores da região Nordeste como "governadores de paraíba", e criticou a gestão do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), que, segundo ele, seria o pior gestor da região.

Em defesa, os gestores do Nordeste fizeram uma carta manifestando repúdio à fala do presidente e cobrando maiores esclarecimentos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo