Foi deflagrada nesta terça-feira (23) uma operação da Polícia Federal (PF) com o intuito de buscar os suspeitos de hacker o celular do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

De acordo com a Polícia Federal, foram cumpridos quatro mandados de prisão temporária e sete mandados de busca e apreensão. Os principais alvos da operação são pessoas suspeitas de ter participado da invasão do celular de Moro. Alguns dos suspeitos podem ser os hackers invasores ou pessoas que atuaram com eles.

A operação da PF está sendo mantida em sigilo, entretanto, segundo nota da PF à TV Globo, os mandados estão sendo cumpridos nas cidades de São Paulo, Araraquara (SP) e Ribeirão Preto (SP).

Ainda segundo a TV Globo, as buscas e as prisões foram autorizadas pelo juiz da 10.ª Vara da Justiça Federal em Brasília, Vallisney de Oliveira. Até o momento, foram instaurados quatro inquéritos com o intuito de investigar o vazamento de mensagens do celular de moro.

Segundo as investigações, suspeita-se de que a invasão do celular de Moro foi planejada. Desta forma, estão sendo coletadas pelos investigadores as informações a respeito da suposta autoria da invasão do celular do ministro. Está sendo analisado quais pessoas tiveram acesso ao celular de Moro ilegalmente e qual foi o método utilizado pelos supostos hackers.

PF emite nota sobre Operação

De acordo com a nota da PF, a operação deflagrada hoje foi denominada Spoofing e tem por principal objetivo "desarticular organização criminosa que praticava crimes cibernéticos".

Na nota, a PF afirmou que as investigações seguirão até a conclusão de todas as "circunstâncias dos crimes praticados".

Ainda segundo a nota emitida pela PF, o termo Soofing significa um tipo de falsificação tecnológica que objetiva enganar uma pessoa ou determinada rede fazendo com que acreditem que a fonte noticiada é confiável, mas na verdade não é.

Celular de Guedes também pode ter sido invadido

Ainda nesta segunda-feira (23), também foi solicitada a investigação de uma suposta invasão do celular de Paulo Guedes, ministro da Economia.

A assessoria do ministério da Economia pretende solicitar a Moro que autorize a PF a investigar a suposta invasão do celular de Guedes. A informação de que o celular do ministro havia sido hackeado foi dita na noite desta segunda-feira (22).

"Um ofício será enviado ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, para que acione a Polícia Federal", informou a assessoria na nota. Ainda segundo a nota, foi informado que o celular de Guedes pode ter sido clonado depois das 22h30.

Siga a página Lava Jato
Seguir
Siga a página Sergio Moro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!