Foi publicada nesta segunda-feira (8), no Diário Oficial da União, o afastamento do Ministro da Justiça, Sergio Moro. De acordo com a assessoria de imprensa de Moro, ele vai se afastar por 5 dias, no período de 15 e 19 de julho.

Em meio a novas divulgações de mensagens feitas pelo site The Intercept Brasil, que publicou neste final de semana novos diálogos entre Moro e procuradores, o ministro resolveu se afastar do cargo por uma semana.

Ao longo do mês de junho, o site publicou uma série de conversas do ex-juiz, onde se coloca em dúvida a sua atuação no julgamento da Lava Jato.

A assessoria de imprensa do Ministério da Justiça e Segurança Pública explicou que o afastamento de Moro é "para tratar de assuntos particulares" e que o afastamento se trata de uma licença não remunerada, assim como prevista na lei. Como o ministro começou a trabalhar em janeiro, ele não tem ainda direito de tirar férias, então, está tirando uma licença não remunerada, de acordo com a Lei 8.112, de 11 de dezembro de 1990.

Diálogos divulgados

O site Intercept Brasil fez mais uma parceria para divulgar e publicar a série de conversas do ministro Sergio Moro, quando atuava como juiz na Operação Lava Jato. Após parceria com o jornal Folha de S.Paulo e o jornalista Reinaldo de Azevedo, foi a vez da revista Veja publicar nesta sexta-feira (5) novos diálogos de Moro.

Segundo a revista, Moro avisou o procurador Deltan Dallagnol que o Ministério Público Federal havia esquecido de incluir uma prova que ajudaria a reforçar a acusação contra envolvidos na Lava Jato.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Lava Jato

Em outro diálogo ele pediu para uma delegada da Polícia Federal que ela não tivesse pressa em anexar aos autos uma planilha com o nome de políticos com foro privilegiado que poderia levar o caso ao Supremo Tribunal Federal (STF).

'Vaza Jato'

Neste final de semana, o site Intercept e a Folha de S.Paulo também divulgaram novas conversas entre o ministro Sergio Moro e o procurador Deltan Dallagnol. O diálogo foi publicado neste domingo (7), o material divulgado foi obtido pelo site que obteve o arquivo vazado por uma fonte sigilosa.

De acordo com a publicação, Moro e Dallagnol atuaram para expor dados sigilosos da Venezuela. Integrantes da força tarefa da Lava Jato mobilizaram-se para vazar informações sigilosas da delação da Odebercht para membros da oposição venezuelana depois de sugestão do próprio Moro.

Na conversa, Moro sugestiona tornar público os documentos, mesmo que a ação não tivesse efeitos jurídicos imediatos. As mensagens são dos dias 5 e 6 de agosto de 2017, naquele ano a Venezuela sofria com endurecimento do regime de Nicolás Maduro.

Com poucos interlocutores na capital Caracas, os procuradores brasileiros recorreram a ex-procuradora-geral da Venezuela Luísa Ortega Días, que foi destituída do cargo por ser considerada uma ameaça ao governo de Hugo Chaves. Ortega divulgou em seu site o material no qual mostrava trecho de depoimentos do ex-diretor da Odebrecht na Venezuela, mostrando que empreiteiras contribuíram para as campanhas eleitorais de Maduro.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo