Nesta segunda-feira (26), o presidente francês Emmanuel Macron durante o encontro do G7, criticou a postura de Jair Bolsonaro por conta de um comentário feito em rede social sobre a primeira dama da França, Brigitte Macron.

No encontro do G7, Macron classificou que Bolsonaro foi extraordinariamente desrespeitoso com a sua esposa. E falou que é muito triste para os brasileiros a postura do presidente Bolsonaro, e que as mulheres brasileiras devem ter vergonha de ter que ler este tipo de comentário.

No sábado (24), o presidente Jair Bolsonaro respondeu ao comentário de um seguidor no Facebook.

O seguidor escreveu que Macron tinha inveja do Bolsonaro, e colocou um meme no qual compara Michelle Bolsonaro e Brigitte Macron. Bolsonaro respondeu ao comentário do seguidor: “não humilha cara. Kkkkkkk”.

O líder francês durante a reunião do G7 afirmou que os brasileiros esperam que sejam bem representados, e desejou ao povo brasileiro um presidente que esteja à altura do cargo.

Crise diplomática

A crise diplomática entre Brasil e França vai caminhando de forma trágica, a relação de Bolsonaro após comentário machista aumenta a tensão, assim como a imagem do presidente e do Governo brasileiro no mundo, principalmente pela postura que foi adotada também pelo ministro da Educação Abraham Weintraub em relação ao presidente da França.

No domingo (25), o ministro postou em sua conta no twitter que Emmanuel Macron era um “calhorda oportunista”. E novamente na manhã desta segunda-feira (26), o presidente Jair Bolsonaro voltou a falar sobre Macron, ele escreveu no twitter que o líder francês está atacando a Amazônia, e que existem outras intenções do G7 em relação a salvar a Amazônia.

De acordo com o Jornal Folha de São Paulo, o desentendimento que ocorre entre os líderes do Brasil e França causa uma forte crise diplomática que não acontece a muitos anos.

Os diplomatas ouvidos pelo jornal explicam que as tensões entre os dois podem fazer com que o acordo entre União Europeia e Mercosul não seja aprovado pelo congresso francês.

O governo francês não vai buscar um acordo impopular, e beneficiar um presidente que insulta o presidente Emmanuel Macron.

G7 anuncia ajuda financeira

A cúpula do G7, que reúne as 7 maiores economias do mundo (Estados Unidos, Japão, Alemanha, Reino Unido, França, Itália e Canadá), se reuniu para discutir principalmente sobre o combate ao desmatamento da Amazônia. Nesta segunda-feira (26), o grupo anunciou ajuda financeira de 20 milhões de euros (cerca de R$ 91 milhões) para investir e combater os incêndios.

No entanto, a ajuda de médio prazo para reflorestamento da Amazônia exigirá que o governo brasileiro faça uma parceria com ONGs e com a população local.

Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!