O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, esteve em uma palestra nesta sexta-feira (6), em Curitiba, e aproveitou a viagem para dar uma passada na Superintendência da Polícia Federal, em um compromisso fora de agenda.

Segundo informou a colunista Bela Megale, do jornal O Globo, o ministro teve uma reunião a portas fechadas com o chefe da corporação no Estado, o delegado Luciano Flores. Vale ressaltar que é neste local que se encontra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso por corrupção e lavagem de dinheiro na ação do tríplex de Guarujá, inclusive alvo da sentença do ex-magistrado e agora ministro Sergio Moro.

Questionado por pessoas próximas sobre o motivo da visita, o ministro resumiu que era apenas "técnica". Essa foi a primeira vez que ele retornou ao local desde quando deixou a carreira de juiz para entrar na política.

O delegado Luciano Flores entrou no lugar de Maurício Valeixo quando este acabou aceitando um convite de Moro para atuar no cargo de delegado-geral da PF. No entanto, tudo indica que Valeixo perderá o cargo por interferência do presidente Jair Bolsonaro. O futuro dele ainda é incerto, e o ministro da Justiça sempre depositou confiança em Valeixo.

Perto do ex-presidente

Ainda segundo a colunista Bela Megale, o encontro de Moro com Flores aconteceu a alguns metros da cela onde se encontra Lula. Ao subir para o quarto andar, Moro por muito pouco não se esbarrou com a presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, a deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR). Ela tinha ido visitar o líder do PT naquele mesmo horário. Lula está no quinto andar e, em suas entrevistas, sempre tem atacado Sergio Moro dizendo que a sua condenação ocorreu sem que ele mostrasse provas.

Avaliação do ministro

Moro é o ministro mais popular e bem avaliado do Governo Jair Bolsonaro, segundo pesquisa do Datafolha divulgada nesta quinta-feira (5).

Conforme dados da pesquisa, 94% das pessoas conhecem o ex-juiz federal e 54% avaliam os seus trabalhos frente ao Ministério da Justiça e Segurança Pública como ótimo ou bom. Destes entrevistados, 24% analisam como regular e apenas 20% como ruim ou péssimo.

Na pesquisa, 2% preferiram não se manifestar. Os dados foram colhidos na semana passada.

De acordo com as informações do portal UOL, o levantamento mostrou que Moro se manteve intacto diante da pesquisa anterior.

Vale lembrar que o ministro tem sido alvo de algumas crises no governo, como a interferência de Bolsonaro na Polícia Federal, causando apreensão nos bastidores. Mensagens de diálogos entre Moro e Deltan Dallagnol e divulgadas pelo site The Intercept Brasil também não causaram muito impacto na avaliação do ministro pelos entrevistados.

Siga a página Lava Jato
Seguir
Siga a página Sergio Moro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!