Nesta terça-feira (19), o presidente Jair Bolsonaro declarou a jornalistas que ele não deveria ser questionado sobre o aumento do desmatamento na Amazônia.

O presidente argumentou que este questionamento deve ser direcionado ao ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

A declaração de Bolsonaro foi feita antes de uma cerimônia realizada no Palácio da Alvorada em homenagem ao Dia da Bandeira, a data foi comemorada na terça-feira, 19 de novembro.

Antes da execução do hino nacional e hasteamento da bandeira, Bolsonaro foi questionado sobre os números apresentados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

O Instituto divulgou a informação que o presidente relutou em responder. O Inpe mostrou que houve um aumento de 29,5% do desmatamento da Amazônia ocorrido entre agosto de 2018 e julho de 2019 se comparado com o período anterior, ou seja, de agosto de 2017 até julho de 2018. Na comparação entre os dois períodos, a área desmatada passou de 7.536 km² para 9.762 km².

O instituto divulgou esses dados na última segunda-feira (18) pelo Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes), considerado o mais eficaz na medição de taxas anuais.

Enquanto o Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter) mostra os alertas de maneira mensal e já apontava uma tendência de aumento, o Prodes usa outra metodologia.

A ministra Dilma

Bolsonaro cometeu um engano ao tentar comparar o desmatamento ocorrido em seu Governo, até o momento, com o que ocorreu no período petista.

Ao tentar se referir a Marina Silva, que foi ministra do Meio Ambiente no governo Lula, ele disse que Dilma era a ministra do Meio Ambiente, e foi corrigido por um jornalista.

Jair Bolsonaro afirmou que o desmatamento foi recorde no período petista então disse para que não perguntassem para ele sobre o assunto, no que um jornalista insistiu no tema e disse para o presidente que a pergunta é sobre um dado atual.

Bolsonaro persistiu em não querer responder e mandou que a imprensa procurasse o ministro Ricardo Salles.

"Pergunta para o Salles, que tá ali, conversa com ele", disse o presidente.

O ministro do Meio Ambiente estava neste momento em um local em que a imprensa não teria como falar com ele, e o presidente não chamou o ministro para conversar com os repórteres.

Salles já havia se pronunciado sobre o tema no dia anterior. Para o chefe da pasta, o motivo para o aumento do desmatamento é de conhecimento público desde 2012 em diante. Este motivo é a pressão exercida pelas atividades econômicas, que em sua maioria são exercidas de forma ilegal.

Bolsonaro afirmou que teve uma conversa reservada com Ricardo Salles sobre o tema. O ministro terá uma reunião com os governadores da região amazônica nesta quarta-feira (20).

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Siga a página Natureza
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!