Nesta quinta-feira (7), a Secretaria Especial da Cultura foi transferida para o Ministério Turismo. O órgão estava dentro do Ministério da Cidadania. O decreto que transfere o órgão foi assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, e publicado no Diário Oficial da União.

Assim, com a Secretária Especial da Cultura, mudam de pasta o Conselho Nacional de Política Cultural, e a Comissão Nacional de Incentivo à Cultura.

Foram anunciados também as transferências de atribuições, como proteção do patrimônio histórico, artístico e cultural, bem como a regulação de direitos autorais.

De acordo com a assessoria do Ministério do Turismo, o presidente não deu detalhes sobre a decisão. O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL), declarou que a incorporação da Secretária Especial de Cultura ao Turismo será feita com responsabilidade e compromisso.

O Ministério da Cidadania também declarou, por meio de nota, que a transferência foi feita entre Bolsonaro e o ministro Osmar Terra.

Atualmente a Secretaria Especial da Cultura está sem secretário, desde a saída de Ricardo Braga, ele foi exonerado na quarta-feira (6).

Braga estava no comando da secretaria há apenas dois meses, ele assumiu a Secretaria de Regulamentação e Supervisão do Ensino Superior, órgão do Ministério da Educação.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Governo

Um novo secretário ainda não foi anunciando para para assumir o órgão.

No entanto, o nome que está sendo cotado assumir a pasta é o do ex-deputado federal Marcos Soares. Ele é filho do pastor R.R Soares, fundador da Igreja Internacional da Graça de Deus. Outro nome surgiu pelo planalto foi o do atual diretor de artes cênicas da Funarte, Roberto Alvim.

Cultura

O Ministério da Cultura foi extinto pelo governo do presidente Jair Bolsonaro e passou a pertencer ao Ministério da Cidadania, ficando como Secretaria Especial da Cultura.

Ricardo Braga assumiu a pasta em setembro, já que vaga ficou em aberto, após Henrique Pires deixar o cargo. Ele optou por sair da Secretária em razão de não admitir que o Governo impunha “censura” na cultura.

Henrique Pires declarou que o governo vinha com uma série de tentativas de cerceamento à liberdade de expressão, e de impor censura em atividades culturais.

Denúncia

Atualmente o Ministério do Turismo é comandado pelo Marcelo Álvaro Antônio (PSL), ele é suspeito de estar envolvido em um esquema de candidaturas de fachada do PSL.

O ministro foi indiciado pela Polícia Federal, após o jornal Folha de São Paulo publicar que Álvaro Antônio, comandava o desvio de recursos públicos por meio de candidaturas femininas de fachadas. Ele foi citado pela promotoria como o líder do grupo que fraudava a utilização de verba, ele está sendo acusado de apropriação indébita de recurso eleitoral e associação criminosa. O ministro que vai abrigar a cultura em sua pasta declarou na ocasião que iria provar a sua inocência.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo