Após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de derrubar a prisão em segunda instância, a defesa de Lula solicitou um pedido de soltura imediata nesta sexta-feira (8). Em caso de liberdade, o líder petista pretende viajar pelo país e fortalecer a oposição ao Governo Bolsonaro.

Durante sessão realizada nesta quinta-feira (7), o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu derrubar a prisão em 2ª instância.

Com a decisão, além de Luiz Inácio Lula da Silva, outros réus poderão ser soltos, no entanto, apenas em caso de prisão decretada antes do trânsito em julgado.

Em liberdade, o próximo passo de Lula será seguir viagem pelo país. Ele pretende fortalecer a oposição ao governo Bolsonaro. Em seus planos também está previsto viagens internacionais para visitar líderes políticos que se manifestaram contra a sua prisão.

A defesa do ex-presidente Lula esteve na Polícia Federal e se reuniu com o petista. Eles discutiram a estratégia da defesa para o pedido de soltura. Após a reunião, o pedido foi encaminhado nesta manhã a Justiça Federal. A decisão caberá à juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara de Execuções Penais (VEP) de Curitiba.

Os advogados de Lula afirmam que o resultado do julgamento mostrou que a prisão do ex-presidente foi ilegal, e que o petista é vítima de perseguição política. Diante disso, a eventual soltura de Lula, já está movimentando o partido e pode influenciar os rumos políticos do país daqui para frente.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Lula

Lula Livre

A vigília Lula Livre está em frente à sede da Polícia Federal em Curitiba, e as lideranças petistas já estão organizando um ato político no acampamento montado pela militância, que, durante o período em que esteve preso, estavam lá para dar apoio ao ex-presidente. Em seguida, de acordo com jornal Folha de S.Paulo, Lula vai visitar os ex-tesoureiros do PT, João Vaccari e Delúbio Soares, e depois ele deve seguir para São Bernardo do Campo, onde deve ser recebido pela militância com festa.

Depois, Lula iniciará uma série de viagens pelo Brasil que visa buscar limpar a imagem do partido e fazer oposição a Bolsonaro. Alguns dirigentes petistas acreditam que com o desgaste do governo Bolsonaro, Lula poderá conseguir recuperar a imagem do Partido dos Trabalhadores, mostrando para população que as medidas tomadas, principalmente na área econômica, prejudicam os pobres.

O ex-presidente também não quer defender o impeachment de Jair Bolsonaro. Segundo Lula e aliados, não existe clima para mobilizar a sociedade para abreviar o mandato político de Bolsonaro.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo