Na última sexta-feira (6), o deputado Daniel Silveira, do PSL, e uma Mulher se desentenderam na lanchonete de uma universidade em Petrópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro, onde o deputado estuda. O político e a mulher trocaram ofensas e até cusparadas.

O próprio parlamentar fez questão de registrar a confusão, e o vídeo viralizou na internet. Ele disse que estava sentado sem mexer com ninguém, apenas tomando seu café, quando supostamente a mulher teria o olhado e dito que a universidade estava sendo mal frequentada.

A mulher, por sua vez, se defendeu e disse que quem começou a confusão foi Daniel Silveira, que supostamente teria chamado-a de gorda.

Ele rebate a mulher e diz que ela está colocando palavras em sua boca, pois em momento nenhum ele a ofendeu falando do seu peso. Daniel ainda ironizou e disse que ele não tem nada a ver com a obesidade da mulher, que é um fato. Daniel ainda disse que não a ofendeu e que a mulher o atacou diretamente.

A mulher se revolta e diz que Daniel Silveira é fascista e que os fascistas não vão passar.

Em seguida ela cospe no deputado. Daniel ameaça a mulher e diz que se ela cuspir novamente que ele irá a algemar e levá-la presa. A mulher descontrolada diz que ele poderia algemar.

O parlamentar revida e cospe de volta na mulher. Ela então cospe pela segunda vez no deputado e é empurrada por ele. A mulher então diz que Daniel a agrediu e ele se defende dizendo que só a empurrou para que ela saísse de cima dele.

No fim do vídeo a mulher ameaça o deputado dizendo que vai acionar a Polícia, ele diz que ela pode chamar. No fim, nenhum boletim de ocorrência foi registrado por nenhuma das partes.

Segundo a assessoria de Daniel, a mulher não foi à delegacia para registrar a ocorrência pois não teve o apoio de ninguém da faculdade.

Em nota, a universidade disse que repudia qualquer ação de violência e que entre as missões da instituição está formar não só pessoas para o mercado de trabalho, mas também cidadãos de bem que tenham plena consciência de seu papel com a sociedade.

Mulher divulga nota sobre acontecimento

A mulher que cuspiu no deputado Daniel Silveira divulgou uma nota sobre o que aconteceu na cantina da instituição de ensino superior.

Ela disse que estava conversando com o funcionário da cantina sobre a faculdade estar mal frequentada, em tom baixo, para que só o atendente a escutasse. Mas que o deputado já sabia de suas preferências políticas, pois a conhece desde 2014, e se levantou perguntando se ela estava falando da presença dele no local.

Segundo a mulher, o deputado disse que o local estava realmente mal frequentado por pessoas gordas como ela e que a chamou de vagabunda e disse que ela era drogada.

Ainda segundo a estudante, ela disse que aquela não era a posição de uma pessoa em cargo público e que nesse momento o deputado começou a fazer uma live em suas redes sociais e discussão acabou saindo do controle.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Educação
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!