O presidente Jair Bolsonaro afirmou em uma entrevista concedida nesta terça-feira (28) que o Governo não pretende retirar das Filipinas uma família de brasileiros, que está internada com suspeita de contaminação pelo coronavírus no país.

Bolsonaro disse que "com todo respeito", não é oportuno retirar a família do país. Ele ainda questionou se os dados informados pela China, em relação ao número de casos da doença, seriam reais e afirmou que esses países [China e Filipinas] são mais fechados no que diz respeito a divulgação de informações.

A família formada por um homem, uma mulher e uma criança de apenas 10 anos de idade, esteve em Wuhan, na China, antes de viajar para as Filipinas. Wuhan é justamente a região onde o vírus se encontra mais concentrado até o momento.

A criança começou a apresentar sintomas como febre e dificuldade para respirar no último sábado (25), e foi internada em isolamento em um hospital na cidade de Puerto Princesa nas Filipinas. Os pais também foram colocados em isolamento por precaução e o pai apresentou apenas dores de garganta.

O presidente ressaltou ainda que a Organização Mundial de Saúde (OMS) elevou a avaliação de risco internacional do vírus, assim como já fez com o H1N1. Para se informar melhor sobre o grau de gravidade da situação, e saber se existe mesmo a possibilidade do vírus se espalhar pelo mundo, Bolsonaro se encontrou nesta manhã com o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Bolsonaro também foi questionado pelos jornalistas se seguiria o exemplo de outros países, que estão fazendo missões para retirar seus cidadãos das áreas infectadas pelo vírus.

Em relação a esse assunto, o presidente se conteve apenas em comentar especificamente sobre o caso da família internada nas Filipinas, sem esclarecer se pretende ou não fazer uma missão para retirar os demais cidadãos brasileiros das áreas com risco de contaminação.

O Coronavírus

Até o momento já foram contabilizadas 106 vítimas fatais da doença, sendo 100 delas apenas na província de Hubei, onde fica a cidade de Wuhan.

Segundo balanço divulgado nesta terça-feira (28), o número de infectados já passa de 4 mil e já houveram relatos de infectados em pelo menos 12 países diferentes.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) emitiu um alerta sobre a doença no último dia 31 de dezembro de 2019 após ser notificada pelo governo chinês, que relatou sobre uma epidemia de uma pneumonia desconhecida na cidade de Wuhan, que é a sétima maior do país com 11 milhões de habitantes.

No Brasil, 5 casos suspeitos de contaminação pelo coronavírus foram avaliados e descartados pelo Ministério da Saúde, que anunciou a instalação de um Centro de Operações de Emergência (COE) para tratar um possível surto.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Relacionamento
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!