Possivelmente, o Ministro da Educação Abraham Weintraub esteja passando pelo seu inferno astral, depois de uma sucessão de acontecimentos que envolvem erros na correção de provas e críticas advindas do Presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

O mais novo ingrediente que compõe o inferno astral de Weintraub é a convocação planejada por alguns deputados do Congresso Nacional. Isso deverá se concretizar neste mês de fevereiro. Amanhã (03/02), os parlamentares retomam suas atividades em Brasília.

Deputados da oposição agitam para colocar o Ministro da Educação contra a parede e exigir explicações quanto às lambanças divulgadas nas notas do Enem de 2019.

Integrante da Comissão de Educação, a deputada Tabata Amaral fez uma convocação para que Weintraub se apresente e dê explicações de “forma técnica, transparente e detalhada” a respeito do que houve no Enem e se ele ou membros do Ministério da Educação tomaram algum tipo de providência.

Ritmo lento

Apesar disso, ainda levará certo tempo para que essa chamada ocorra de fato, uma vez que o trabalho das Comissões só começa no fim de fevereiro. Mesmo assim, nos bastidores, há aqueles parlamentares indignados que, para não deixar “a peteca cair”, podem convocar Weintraub em sessão plenária da Câmara.

Outro artifício que pode ser utilizado é que os deputados peçam a Rodrigo Maia acelerar a reconstituição dos membros das Comissões.

Segundo o deputado Felipe Rigoni, relator de uma comissão externa cujo objetivo é fazer um diagnóstico das ações realizadas pelo MEC em 2019, está disponível um trabalho que culminou na conclusão de ineficiência e paralisia do órgão ministerial.

O mal-estar só vem crescendo nos últimos dias, pois o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, criticou publicamente o estrago e a falta de resultados positivos no Ministério da Educação.

Em evento do qual participou na cidade de São Paulo, Maia abriu a boca e não poupou Abraham Weintraub. Disse que o ministro atrapalha o futuro das crianças, comprometendo o futuro das próximas gerações. Sente que a cada ano, perde-se em ineficiência, perde-se com discurso ideológico e, indo mais além, classificou com péssima sua administração. Por fim, concluiu a gestão do Ministro como um desastre.

Perguntado sobre sua relação com o Presidente Jair Bolsonaro, Maia declarou que tem um diálogo muito bom com ele. Porém, frisou que suas críticas aos membros do Ministério, no tocante à qualidade e desempenho deles, não deve ser entendida como um ataque ao próprio Jair Bolsonaro.

No meio da celeuma

Por meio de sua conta no Twitter, o Presidente Bolsonaro defendeu Abraham Weintraub, colocando uma foto dos dois juntos e apoiando o trabalho desenvolvido pelo Ministro na pasta do MEC. É uma indicação de que Bolsonaro deve ignorar a manobra da oposição em pedir a retirada de Abraham Weintraub. Numa reunião, os dois conversaram sobre o assunto tanto do Enem quanto à trapalhada verificada no Sisu e os esclarecimentos foram fornecidos.

A perspectiva é de que neste mês de fevereiro, apesar de quase tocar o fundo da frigideira, Weintraub permaneça firme na cadeira. Mesmo que com cinto de segurança atado.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!