Ao longo do dia, o Ministério da Saúde apresenta dados referentes aos vitimados pela covid-19. Atualmente, o Brasil registra 4.256 casos confirmados de coronavírus e 136 mortes, segundo relatório divulgado no domingo (29), no qual apresenta a maioria dos vitimados são pessoas acima de 60 anos. Os estados que apresentaram o maior número de mortes seguem sendo São Paulo e Rio de Janeiro.

Apesar do Brasil não apresentar grandes números se for comparado com os demais países, medidas para coibir o avanço do vírus já estão sendo implementas. A maioria dos comércios e empresas fecharam, seguindo a recomendação do Ministério da Saúde, que informa que lugares com grande fluxos de pessoas devem ser fechadas por tempo indeterminado.

Novas medidas do governo americano

O atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deu uma coletiva nesse último domingo (29) a respeito do novo coronavírus. Antes da alta evolução do vírus no país, Trump disse que a medida de quarentena iria durar até as primeiras semanas do mês de abril, mas essas falácias mudaram, onde o presidente estipulou um novo prazo para tentar normalizar a pandemia que prolifera a cada dias nos Estados Unidos.

"Estenderemos nossas diretrizes para 30 de abril para diminuir a propagação do novo covid-19", disse o presidente dos Estados Unidos. Para completar, ele ressaltou: "O pico da taxa de mortalidade provavelmente acontecerá em duas semanas". Ele também falou sobre as medidas que o país está tomando para auxiliar as pessoas que se encontram em situações críticas em razão do vírus.

Algumas unidades provisórias foram criadas para manter as pessoas com suspeitas do vírus, onde elas irão permanecer em quarentena e os médicos irão analisar o processo de cada uma. Ainda não se tem informações de quantas unidades foram criadas para o recebimento dos enfermos.

Ações para evitar a proliferação da covid-19

O presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, está tendo uma outra visão a respeito da covid-19 comparado com o resto do mundo.

Alguns dias atrás, o presidente fez um pronunciamento em rede nacional dizendo que a população não precisaria entrar em pânico, pois o vírus não passa de um simples ''resfriadinho'' ou ''gripezinha''. Com esse pensamento, Bolsonaro ainda sugeriu que as atividades do país fossem retomadas.

O presidente informou que o Brasil não se preparou para uma situação como essa, de quarentena, onde milhões de brasileiros estão em casa sem trabalhar.

Mediante a isso, os cofres públicos serão diretamente afetados, já que não existem pessoas produzindo. Jair Bolsonaro resolveu, junto de seu governo, criar alguns ''slogans'' para incentivar a população a retomarem as atividades profissionais.

O slogan criado dizia "O Brasil não pode parar", fazendo referência à quarentena que muitos brasileiros resolveram adotar. No domingo (29), a Justiça do estado do Rio de Janeiro analisou o caso e resolveu negar a divulgação do material. De acordo com informações, nenhuma campanha que faça referência à retomada dos trabalhos no país poderão ser divulgadas.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!