O atual presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, poderá ser condenado a pagar uma alta indenização após estimular a população a retomar as atividades em meio ao surto da covid-19. A denúncia está sendo realizada pelo MPF (Ministério Público Federal).

O Ministério Público Federal também quer que a Justiça aumente de R$ 100 mil para R$ 500 mil a multa da União para cada vez que as recomendações da OMS para conter o coronavírus sejam desrespeitadas pelo governo federal. Isso foi decorrente após Bolsonaro instigar através das redes sociais a normalização das atividades profissionais.

O atual governo chegou a fazer slogan com a seguinte frase: "O Brasil não pode parar", que seria usado para alertar a população.

A Justiça do estado do Rio de Janeiro analisou o caso e vetou as campanhas de Bolsonaro.

Até o fechamento dessa matéria, o atual presidente não se posicionou sobre o respectivo assunto.

Posicionamento de Bolsonaro sobre a covid-19

Até o presente momento, Jair Bolsonaro é o único presidente que está indo ao contrário do mundo. Enquanto alguns presidentes aconselham a população a ficarem de quarentena e respeitarem esse momento de isolamento, Bolsonaro diz ao contrário a população brasileira. Em meio de suas redes sociais, o presidente informou que parte da população precisa voltar a trabalhar, pois a economia do país não irá conseguir manter todos dentro de casa.

Em meio televisivos, Bolsonaro informou que a covid-19 é uma simples ''gripezinha'' ou ''resfriadinho'', por isso não teria problema em retomar as atividades profissionais.

Com essa falácia, muitas pessoas mostraram a sua revolta através das redes sociais, informando que o presidente deveria aconselhar a população a ficar em casa e não trabalhando, já que os riscos de contaminação seriam bem maiores.

Jair Bolsonaro informou que a longo prazo, o país poderá sofrer fortes impactos na economia referente à covid-19.

Nas redes sociais, muitos autonômos concordaram com a posição do presidente.

Sobe o número de mortes no país

De acordo com informações divulgadas pelo Ministério da Saúde, o Brasil registrou nas últimas horas cerca de 4.661 infectados em todos os estados e 165 mortos. A maioria das mortes apresentadas está presente nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

Mediante a isso, ambos os estados já estão tomando atitudes extremas de isolamento.

Tendo como exemplo o estado do Rio de Janeiro, onde o atual governador, Wilson Witzel, declarou que o sambódromo irá servir de sede para abrigar todos os moradores de rua da cidade. O intuito é isolar todos os moradores de rua, já que a maioria corre o risco de contágio do coronavírus.

O governador do estado também informou que os moradores de rua irão receber dormitórios provisórios, itens de higiene e também comida. Boa parte do material que será usado vem de doações. Ainda não teve um levantamento de quantas pessoas irão ser abrigadas no sambódromo.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!