A nova secretária da Cultura, Regina Duarte, deu entrevista à Rede Globo, no último domingo (8), na qual falou sobre os ataques que tem sofrido desde sua entrada no cargo. A atriz afirmou que as críticas que tem recebido vieram “de uma facção” que deseja ocupar a vaga que ela ocupa agora.

A declaração de Regina não foi bem recebida pelo ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos. Nesta segunda-feira (9), ele fez críticas à entrevista que a secretária de Cultura deu para a emissora. Ramos também disse que se opõe às críticas que Regina Duarte fez ao jornalista Sérgio Camargo, presidente da Fundação Palmares.

Ela chamou Camargo de “ativista” e ainda disse que ele é um “problema”.

Sérgio Camargo é um dos poucos seguidores do escritor Olavo de Carvalho que permanecem na secretaria de Cultura após Regina Duarte ter feito várias demissões na pasta. O presidente da Fundação Palmares declarou ao Estadão, na semana passada, que a secretária de Cultura pediu sua demissão, porém, o presidente da República e o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, negaram o pedido dela.

Para o ministro da Secretaria de Governo, não pode ser dito que Sérgio Camargo é um problema, pois o presidente da Fundação Palmares tem o apoio do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Camargo provocou a ira do movimento negro quando chamou de “Nutella” o racismo existente no Brasil. Porém, ele tem o apoio de Bolsonaro para permanecer no cargo.

Ramos é visto como um dos apoiadores da entrada de Regina Duarte no governo Bolsonaro. Ele agora está recebendo críticas de representantes de movimentos conservadores após a entrevista de Regina Duarte. O jornalista Allan dos Santos, responsável pelo site Terça Livre e declaradamente bolsonarista, foi um dos que criticaram o ministro Luiz Eduardo Ramos nas redes sociais.

Boneco de ventríloquo

Allan afirmou que o problema não está tanto em Regina Duarte, que ele chamou de “boneco”, e sim no “ventríloquo”, foi como ele se referiu ao ministro Luiz Eduardo Ramos. O ministro deu uma declaração sobre o tema e quis deixar claro que está ao lado do presidente Jair Bolsonaro.

Ataques

Regina Duarte foi anunciada para o cargo logo depois que Roberto Alvim parafraseou discurso de Joseph Goebbels, desde então ela tem sido alvo de críticas de conservadores e seguidores do escritor Olavo de Carvalho.

O deputado federal Alexandre Frota questionou nas redes sociais como ficará a questão do cinema nacional.

Na entrevista que Regina Duarte deu ao "Fantástico", ela afirmou que não se deve produzir filmes para as minorias com financiamento público. Para Frota, a nova secretária especial de Cultura está agindo de forma ideológica. Por outro lado, a atriz recebeu apoio da ala militar do governo, para interlocutores no governo, a atriz ainda está em processo de aprendizagem na política, porém, mesmo sob ataque, ela deve continuar no cargo.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!