Ao sair do Palácio da Alvorada na manhã desta quarta-feira (22), o presidente Jair bolsonaro (sem partido) mostrou-se irritado e falou em argumentos distorcidos por parte da imprensa brasileira. Sem dar explicações sobre o que havia lido, o chefe do Executivo disse: "Eu não vou falar com a imprensa. O que eu li hoje inventam tudo. Então pode continuar inventando aí.''

Segundo informações do portal UOL, Bolsonaro hostilizou alguns jornalistas e disse que a imprensa era canalha ao falar com apoiadores sobre lotéricas. O parlamentar disse que possuía um familiar que trabalha na loteria, Angelo, seu irmão, e toda vez que o tema a citado por Bolsonaro, uma imprensa, que não teve o nome exposto, entrevista esse familiar.

A todo momento em que conversou com os jornalistas que ali estavam, o chefe do Executivo se mostrou bastante irritado e inconformado com o rumo que as falas proferidas por ele estariam tomando na imprensa além da polêmica envolvendo um parente que é lotérico.

Todo o ato de raiva foi registrado durante uma transmissão ao vivo no perfil de Jair Bolsonaro no Facebook. Até o fechamento dessa matéria, o vídeo conta com mais de 420 mil acessos e mais de 50 mil curtidas. A maioria das pessoas que acompanharam a live mostraram-se favoráveis aos argumentos proferidos pelo atual presidente.

Bolsonaro e coronavírus

Nesta terça-feira (21), o chefe do Executivo falou na saída do Palácio da Alvorada sobre a situação atual do Brasil em razão da pandemia da doença.

Segundo ele, o país está perdendo muito com a economia, tendo em vista que a maioria das atividades profissionais importantes pararam nesse período de quarentena.

Bolsonaro também afirmou que irá fazer de tudo para que parte dos comércios e dos trabalhos voltem à normalidade. O chefe do Executivo, inclusive, disse que as escolas militarizadas deverão voltar a normalidade nos próximos dias.

Bolsonaro entende que esse momento de proliferação do novo coronavírus é delicado, mas que o país não pode parar. ''Ou a população brasileira morre de fome ou de contágio com o novo coronavírus'', comentou o presidente.

Até o fechamento dessa matéria, o Ministério da Saúde atualizou os números referente as mortes e contágios do vírus.

Nesse período de quarentena, 2.741 mortes foram registradas e 43.079 casos foram confirmados. De acordo com informações, São Paulo é o estado mais afetado com o coronavírus, apresentando 1.093 vítimas.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!