Houve nesse último domingo (19), protestos contra a quarentena e muitas criticas ao STF (Supremo Tribunal Federal) e também ao poder Legislativo, e até mesmo, um pedido de um novo AI-5 (Ato Institucional número 5). Esse ato foi usado no Governo militar, em 1968, para retirar as liberdades civis. E em Brasília, em frente Quartel General do Exército, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) discursou para apoiadores e pediu para todos serem patriotas e defenderem a pátria.

Nesta segunda-feira (20), o presidente teve um outro discurso. Na frente do Palácio da Alvorada, Bolsonaro disse que espera que o isolamento social, por causa da pandemia, termine essa semana, para a economia girar.

Ele disse que vai dar para “recuperar o Brasil” ainda, e espera que essa seja a última semana dessa quarentena, e que termine esse modo de “combater o vírus” confinando todo mundo dentro de casa. Para o presidente, a grande “massa” não tem a menor condição de ficar em suas casas com suas geladeiras vazias.

No momento que estava conversando com a imprensa, um dos apoiadores do seu governo, disse que se deveria fechar o STF. Bolsonaro disse que não tem que fechar nada, porque, aqui (se referindo o Brasil) é uma democracia. Disse ainda que no Brasil se deve respeitar a Constituição nacional e defendeu que o Supremo deve ficar aberto, mas, deve ser transparente, assim como, o Congresso deve ficar aberto e ser transparente.

Ainda disse que por ele tem que ter democracia e a liberdade “acima de tudo”. Ele reiterou seu respeito pelo STF e também, seu respeito pelo Congresso Federal, mas, disse que as suas opiniões não deveriam ser interpretadas como uma agressão ou como uma ofensa.

Depois, Bolsonaro voltou a falar que seu governo está muito preocupado em conter e combater o coronavírus e barrar o contágio e um maior agravamento dessa situação econômica em todo o Brasil.

Porém, mais uma vez, Bolsonaro fez duras críticas a essa quarentena, que foi adotada pelos governadores, dizendo que tudo que é feito, exageradamente, acaba tendo vários problemas no futuro.

Bolsonaro contra a velha política

No seu discurso nesse domingo (19), na frente do Quartel General do Exército, que fica em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro fez duas críticas da “velha política”.

Ele disse que o governo não vai negociar nada, o governo só deseja atos para o Brasil. Segundo ele, o que tinha de “velho” ficou no passado, pois, está vindo um Brasil novo para o futuro. Bolsonaro, afirmou que todos sem “exceção” devem ser patriotas e acreditar, fazendo a sua parte para que o governo possa colocar o país no devido lugar como destaque.

Ainda o presidente falou, que a errada “patifaria” tinha acabado e naquele momento, o povo estava no poder. Mais do que um “direito”, o povo deveria lutar pelo Brasil. Bolsonaro afirmou que era para todos contar com ele para agir em tudo que for necessário para que o governo possa manter a democracia e fazer garantir o que seria mais “sagrado” entre todos, que é a liberdade.

Segundo o presidente, todos no país tem que entender que estão submissos à vontade popular e tem certeza, que todos os cidadãos juraram um dia dar sua vida pela sua “pátria” e assim, o governo vai fazer o que for possível para haver uma mudança no destino da nação. E Bolsonaro enfatizou, que a velha política tinha acabado.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!