Na manhã desta quarta-feira (13), o vice-presidente Hamilton Mourão defendeu os ministros Augusto Heleno (GSI), Braga Netto (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) por meio de seu Twitter.

De acordo com informações do UOL, os ministros foram notificados a prestarem depoimentos após serem citados pelo ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro durante um depoimento de acusação ao presidente Jair Bolsonaro.

''Quem alinha discurso é bandido. Homens de honra, como Augusto Heleno, Braga Netto e Ramos, falam a verdade e cumprem a missão'', digitou Mourão. Muitos apoiadores do governo foram favoráveis às palavras do vice-presidente.

A postagem conta com 20 mil curtidas e mais de 5 mil comentários.

Nessas últimas semanas, Mourão tem usado frequentemente suas redes sociais para se posicionar a respeito de determinados assuntos pertinentes ao país.

Vice-presidente

Nesta última terça-feira (12), o vice-presidente participou de uma transmissão ao vivo promovida pela XP Investimentos e se posicionou sobre alguns problemas pertinentes à população brasileira e falou sobre os investimentos. Mourão ainda saiu em defesa do presidente Bolsonaro, tendo em vista a quantidade de críticas que o presidente vem sofrendo por parte da população e da mídia.

"É papel nosso dar estabilidade ao investidor. O Brasil tem que mostrar ser um parceiro confiável. Agora, para isso tem que parar com essa brigalhada aqui dentro.

A turma que perdeu a eleição em 2018 tem que entender e tem que deixar o presidente governar", disse Mourão.

Governo

Por meio da Advocacia-Geral da União (AGU), o governo federal informou que os exames do presidente Bolsonaro referentes ao coronavírus foram entregues nesta terça-feira (12) ao ministro Ricardo Lewandowski, relator no STF (Supremo Tribunal Federal) da ação que o jornal O Estado de S.

Paulo moveu para ter acesso aos exames.

Por meio de nota, a Advocacia-Geral da União informou que os laudos médicos recebidos de Bolsonaro confirmam que o presidente testou negativo para a doença do novo coronavírus.

Mesmo informando pelas redes sociais que não havia sido contaminado com o novo coronavírus no dia 13 de março, Bolsonaro havia sido notificado a apresentar os exames médicos realizados, mas o presidente se negou a apresentar os laudos.

Em entrevista, o chefe do executivo informou que iria se sentir "violado" se tivesse que apresentar os testes feitos.

Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!