Um dos "adversários" do bolsonarismo, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, participou de uma live neste sábado (30), organizada pelo advogado Fernando Passos. E não deixou de fazer críticas à postura adotada por Jair Bolsonaro no convívio entre os Poderes.

Na live, o deputado do DEM-RJ revelou ter boas relações com o presidente da República no âmbito privado, mas que nas declarações públicas deste, a atitude tem sido bastante inversa.

Bolsonaro 'gera insegurança'

Uma das afirmações dadas por Rodrigo Maia na live é que Bolsonaro não consegue passar segurança em suas declarações públicas, por estas sempre terem teores de crítica ao Congresso Nacional e ao Supremo Tribunal Federal (STF).

"Só que, como presidente do Brasil, cada vez que ele vai para o enfrentamento, ele desorganiza e gera insegurança", disse o presidente da Câmara.

Maia quer 'harmonia' entre Poderes

Na avaliação do presidente da Câmara, o Congresso deve assumir um papel maior na interlocução entre os Três Poderes. Maia afirmou que tem tentado iniciar 'pontes' entre Legislativo, Judiciário e Executivo para alinhá-los em uma agenda comum e evitar rusgas.

"O ideal, neste momento de pandemia, é que a gente conseguisse ter mais harmonia e menos conflito", afirmou o deputado fluminense.

Rodrigo Maia fez uma ligação entre a atuação de Jair Bolsonaro na época em que este era deputado federal para apontar que este deve recorrer menos a uma postura contestadora e sim com maior disposição de conciliar o país num momento difícil como o da pandemia do coronavírus.

"Quando você é um deputado crítico, que vai para o enfrentamento, isso é uma coisa, quando você chega a Presidência da República, o seu papel é conciliar. Você não é apenas o presidente dos que o elegeram, você é o presidente de todos os brasileiros", argumentou.

Maia evita falar em impeachment

Na mesma live, foram abordados os 35 pedidos de impeachment de Jair Bolsonaro que o presidente da Câmara tem para analisar.

O mandatário da casa preferiu evitar comentar sobre o assunto, mas os sinais são de que estes pedidos serão deixados de lado para evitar no atual momento maior, fricção entre Executivo e Legislativo.

Rodrigo Maia não esteve na reunião de Bolsonaro com Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente do Senado, na última quinta-feira (29).

A conversa aconteceu depois da polêmica operação da Polícia Federal em cima de empresários e apoiadores do presidente no inquérito das fake news movido pelo Supremo.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!