Nos últimos dias, a omissão de dados oficiais da Covid-19 por parte do Ministério da Saúde tem gerado inúmeras críticas e um clima de tensão no Governo. Na semana passada, a pasta informou que passaria a divulgar os dados oficiais somente após as 22h, o que dificultaria a divulgação por parte da imprensa em jornais e telejornais.

Site do Ministério da Saúde sai do ar

Já na sexta-feira (5), o site oficial do Ministério da Saúde saiu do ar, retornando no sábado apenas com as informações oficiais dentro do prazo de 24h. Tabelas, arquivos para downloads e toda a informação do número de mortos e contaminados desde o início da pandemia, desapareceram.

O presidente Bolsonaro então compartilhou uma nota do ministério em sua conta pessoal do Twitter falando sobre a decisão de restringir o acesso às informações, alegando que o modelo utilizado atualmente não representa “o momento do país” e que o horário determinado diminuiria as chances de subnotificação.

Imprensa se une para divulgar dados da Covid-19

As últimas decisões, é claro, geraram uma série de críticas e a imprensa no geral se manifestou sobre o assunto. Em resposta à decisão de Bolsonaro, os veículos de comunicação G1, O Globo, Extra, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo e UOL se uniram para apurarem e divulgarem de maneira colaborativa os dados oficiais coletados diariamente junto às secretarias estaduais de saúde.

Como proposto, a imprensa vem cumprindo seu papel, divulgando o balanço diário.

Depois da criação desse consórcio de informação, o Ministério recuou e voltou a divulgar os dados oficiais mais cedo, por volta das 18h, como anunciado pela pasta na última segunda-feira (8). Ainda assim, os únicos dados que a população teve acesso foram dos dados oficiais de mortes e casos confirmados nas 24 horas anteriores.

STF determina que Ministério divulgue dados oficiais

Diante da dificuldade em se obter dados e a transparência das informações vindas do Ministério da Saúde, na noite de segunda-feira (8), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes julgou uma ação que foi movida pelos partidos Rede Sustentabilidade, PSOL e PCdoB, e com isso determinou que o ministério voltasse a divulgar todas as informações, no formato original.

Voltando ao formato original de divulgação, o Ministério da Saúde passa a informar o número de casos confirmados, pacientes recuperados e óbitos no período de 24 horas, além de informar o número total desde o início da pandemia. O site oficial divulga ainda o número de casos, óbitos e recuperados por dia de ocorrência. Com isso, informações como a quantidade de leitos ocupados em UTI e o número de hospitalizados por Covid-19 também voltam ser publicados.

Para o ministro, a situação grave que o país vem enfrentando por conta da pandemia do coronavírus “exige das autoridades brasileiras” proteção à saúde pública, com a adoção de “todas as medidas possíveis” para auxiliar no funcionamento do sistema único de saúde.

Até o momento, o Brasil tem mais de 747 mil casos confirmados de Covid-19, além de 38.701 mortes.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!