A contagem de votos da disputa presidencial nos Estados Unidos caminha para uma reta final, com o candidato democrata Joe Biden na liderança. O governo brasileiro acompanha de perto a disputa presidencial nos EUA. Nesta última quarta-feira (4), o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ), o filho do presidente Jair Bolsonaro, questionou a apuração dos votos nos estados americanos de Wisconsin e Michigan.

Eduardo compartilhou em sua conta no Twitter uma série de postagens do blogueiro bolsonarista Bernardo Küster, o qual está sendo investigado no inquérito que apura a divulgação de notícias falsas contra o STF (Supremo Tribunal Federal).

O parlamentar classificou como "estranho" um gráfico segundo o qual entre 5h e 6h de quarta Biden teria recebido de uma vez só 138 mil votos no estado de Michigan, onde até então o republicano Donald Trump mantinha a liderança.

Em sua publicação, Küster sugeriu que o candidato republicano entre com um processo na Suprema Corte pedindo a recontagem dos votos.

Diante da pandemia do novo coronavírus, a maioria dos norte-americanos acabou optando em votar de forma antecipada com o objetivo de evitar aglomerações. No total, mais de 101,2 milhões de eleitores dos EUA já votaram, sendo que, destes, 65,2 milhões votaram pelos correios.

Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro disse a apoiadores no Palácio da Alvorada: "Preferência, acho que todo mundo tem, e não vou discutir com ninguém.

Quem é democrata, quem por ventura torce por republicanos. Vocês sabem a minha posição, (é) clara, e isso não é interferência. Tenho uma boa política com o Trump, espero que ele seja reeleito. Espero, né.

Eduardo Bolsonaro criticado por interferir na política dos EUA

Em julho deste ano, o deputado federal Eduardo Bolsonaro foi criticado pelo deputado democrata Eliot Engel, presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Estados Unidos, pelo fato de participar de um vídeo de apoio à candidatura de Donald Trump à reeleição.

Na época, Eliot chegou a sugerir que a família Bolsonaro ficasse de fora da política dos Estados Unidos.

Siga a página Eleições
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!