Depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) proibiu a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Davi Alcolumbre (DEM-AM) para a presidência da Câmara e do Senado, respectivamente, uma corrida para a escolha de novos nomes acirrou-se no Congresso. As informações são da revista Carta Capital.

A eleição para a cúpula do Parlamento, que acontecerá no primeiro dia de fevereiro do próximo ano, é considerada a disputa política mais importante de 2021.

PSOL

Com exceção do PSOL, todos os outros partidos opositores ao Governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) provavelmente não irão lançar candidatos para disputarem as presidências das duas casas legislativas.

Sendo assim, tornaram-se motivo de interesse de blocos do Centrão, que têm interesse na causa.

A tendência é que Jair Bolsonaro apoie o deputado Arthur Lira (PP-PI), enquanto o candidato que será apoiado por Rodrigo Maia ainda não foi escolhido.

Câmara Livre

Rodrigo Maia já declarou que o candidato para a disputa da Câmara dos Deputados que ele irá escolher virá do Câmara Livre, um movimento de parlamentares que fazem oposição ao governo federal.

Tanto Rodrigo Maia quanto Arthur Lira estão articulando para ganhar o apoio da oposição. A reportagem de Carta Capital entrou em contato com deputados que sinalizaram que irão apoiar o candidato de Rodrigo Maia, para fazer oposição ao presidente da República.

Os nomes que Maia cogita para sucedê-lo no comando da Câmara são: Aguinaldo Ribeiro (PP-PB); Elmar Nascimento (DEM-BA); Baleia Rossi (MDB-SP); Marcos Pereira (Republicanos-SP) e Luciano Bivar (PSL-PE).

Contudo, o atual presidente da Câmara não descartou a possibilidade de apoiar um nome da esquerda, que pode vir tanto do PDT quanto do PSB.

Oficialmente, o apoio a Arthur Lira não foi descartado de maneira oficial. Entretanto, segundo o que foi relatado por fontes dos partidos de oposição, está descartada a possibilidade de apoiar o candidato de Jair Bolsonaro.

Marcelo Freixo

O PSOL ainda não chegou a um acordo em relação ao nome do partido que irá disputar a presidência da Câmara dos Deputados.

O que foi apurado pela Carta Capital é que Marcelo Freixo não irá disputar a presidência da Câmara. Ele já havia tentado em 2019.

A bancada do partido é composta em sua maioria por mulheres, então o partido decidiu que será escolhida uma mulher para a disputa, mas o nome ainda não foi escolhido.

No Senado, as conversas em relação a um nome para substituir Davi Alcolumbre não têm feito tanto barulho quanto o que está acontecendo na Câmara.

O que é dado como certo é que foram escolhidos dois nomes do DEM que têm a simpatia de Jair Bolsonaro.

Em conversas particulares, Bolsonaro teria demonstrado apoio aos nomes de Fernando Bezerra (MDB-PE) e Eduardo Gomes (MDB-TO).

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!