O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), fez mais um ataque à imprensa depois que se tornou pública uma lista com os gastos do Governo federal com alimentação. Na listagem estava, entre outras coisas, o que o governo gastou com a compra de leite condensado, impressionantes R$ 15 milhões. As ofensas ocorreram nesta quarta-feira (27), quando o mandatário debochou da denúncia e declarou que as latas de leite condensado são para “enfiar no rabo da imprensa”.

No novo ataque do presidente aos veículos de comunicação, ocorrido durante almoço com empresários e artistas em uma churrascaria de Brasília (DF), Bolsonaro ainda proferiu um palavrão ao falar sobre a denúncia.

Depois da fala, muitos dos presentes começaram a gritar “mito” e ainda gargalharam com a deselegância do presidente da República.

Os acompanhantes

Estavam presentes ao evento os ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Fabio Faria (Comunicação), Tarcísio Freitas (Infraestrutura), Gilson Machado (Turismo) e o Secretário Especial da Cultura, Mario Frias. Ainda presentes ao evento estavam Paulo Solmucci, presidente da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), Jair Renan Bolsonaro, o filho 04 do presidente, e ainda artistas como o cantor Amado Batista, a cantora sertaneja Nayara Azevedo e o cantor sertanejo Sorocaba, da dupla com Fernando.

Em reportagem publicada no último domingo (24), o portal Metrópoles mostrou quanto o governo federal gastou no ano passado com alimentação, contabilizando mais de R$ 1,8 bilhão.

O valor está 20% acima do que foi gasto no ano de 2019.

Memes

A divulgação dos valores gastos pelo governo ganhou as redes sociais na última terça-feira (26), e foram vistos vários memes. Após a polêmica, o Portal da Transparência do governo saiu do ar ainda na noite da terça-feira (26). Além do leite condensado, que se tornou uma marca do presidente da República quando ainda em 2018 foi publicado um vídeo em que ele comia pão recheado com o produto, também constam na lista produtos inusitados como: pizza, refrigerante, goma de mascar e batata frita embalada.

Ministério da Defesa

O Ministério da Defesa ficou responsável pela maior fatia das compras e também pelos valores mais elevados. Foram gastos pela pasta com alimentação pouco mais de R$ 630 milhões. O órgão federal também ficou com a quase totalidade na compra de vinhos, sendo gastos R$ 2,5 milhões.

O Ministério da Economia deu declaração em que dizia que as despesas do Ministério da Defesa se referem à “alimentação das tropas das forças armadas em serviço” e ainda afirmou que toda a despesa que foi feita pela administração federal está dentro do orçamento.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!