O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se manifestou sobre o fechamento das fábricas da Ford no Brasil. O presidente afirmou que a montadora não foi honesta ao dizer qual foi o real motivo para sua saída do país.

A montadora disse na última segunda-feira (11) que iria parar com a fabricação de carros no Brasil depois de mais de cem anos em atividade no país.

Bolsonaro disse que o que motivou a saída da Ford no Brasil foi a falta de acordo sobre o subsídio que sempre foi dado pelo Governo durante os anos de atuação da empresa no território brasileiro que, somados, chegariam a R$ 20 bilhões.

"Mas o que a Ford quer? Faltou a Ford dizer a verdade, né? Querem subsídios", disse o presidente.

"Agora, tem a concorrência também aí, chinesa, entre outros", disse Bolsonaro.

O número de pessoas que serão desempregadas com a saída da Ford chegam a 5 mil. A empresa tinha montadora em Camaçari (BA), Taubaté (SP) e Horizonte (CE).

"Lamento cinco mil empregos perdidos, mas a imprensa não fala que, em novembro, nós criamos 414 mil empregos. Então, perdemos cinco mil agora, repito: lamento", comentou o presidente.

Bolsonaro diz que falta de lucros fez a Ford deixar o Brasil

Bolsonaro ressaltou que a Ford deixou de fabricar no Brasil porque parou de lucrar e que isso é natural no mundo dos negócios e não seria diferente com a montadora, a qual, segundo o presidente, perdeu o lugar para concorrência.

O mandatário então criticou a mídia, que segundo ele está o criticando pelo ocorrido. Bolsonaro disse que “negócio é negócio” e se a empresa acha que não deu para ela continuar por conta dos lucros, que feche as fábricas no Brasil.

A Ford disse que a decisão de retirar as fábricas no Brasil foi por causa do avanço do coronavírus no país, o que contribuiu para a “capacidade ociosa da indústria”.

A montadora alegou também houve "redução das vendas, resultando em anos de perdas significativas”. Em nota, a montadora afirmou que prevê impacto de US$ 4,1 bilhões (R$ 22,5 bilhões) em despesas.

Mourão comenta sobre saída da Ford

O vice-presidente, Hamilton Mourão, disse que a montadora já havia recebido muito incentivos por parte do governo.

Ele disse também que a empresa se precipitou em sair e que poderia esperar as coisas se normalizarem e continuar com a fábrica no Brasil.

O vice ressaltou também que não é só a Ford que está sofrendo com a pandemia, mas muitas empresas em diversos setores. Mourão acredita também que, comparado a outros países, o Brasil ainda oferece condições para as empresas continuarem a trabalhar no país.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!