Nas redes sociais, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que estava autorizando o Instituto Butantan a disponibilizar para o Governo federal o controle total sobre as vacinas.

Doria disse que as vacinas que têm como objetivo imunizar as pessoas contra o coronavírus serão distribuídas para o Brasil todo e espera que isso seja feito logo, pois o governo tem pressa em salvar vidas.

Mais cedo o governador publicou em seu perfil no Twitter que estava acompanhando a reunião que aconteceu entre os diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para decidir sobre o uso emergencial da vacina contra a Covid-19.

Os imunizantes que estavam em discussão foram a CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, e a Oxford/AstraZeneca. A Anvisa aprovou o uso emergencial dos dois imunizantes no Brasil.

A publicação mais recente de Doria foi um pequeno vídeo em que mostra ele e outras pessoas reunidas comemorando a aprovação pela Anvisa do uso das vacinas CoronaVac e AstraZeneca.

Para o governo, essa conquista foi uma grande vitória, visto que ele ajudou durante as campanhas de conscientização sobre como evitar para não ser contaminado e nem espalhar o vírus.

Doria sempre esteve presente no comitê de entrevista e atualizações sobre a situação da pandemia no Brasil e no estado de São Paulo. Por diversas vezes Doria e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) discutiram sobre o uso da CoronaVac no Brasil.

O que geraram várias críticas e em algumas delas apontava a discussão em torno da vacina como uma politização do medicamento.

União diz que vai controlar a distribuição da vacina

O Ministério da Saúde emitiu uma nota comunicando o Instituto Butantan de que as vacinas que vêm sendo produzidas pela instituição serão controladas pelo governo federal.

Ao fazer o pedido, o Ministério da Saúde alegou que a União é o principal responsável pelo controle do Plano Nacional de Imunização e por isso as vacinas ficarão sob o comando do governo federal.

No comunicado diz também que a decisão da União sobre as vacinas se deu pela situação em que se encontra a crise sanitária no país.

O Instituto Butantan se manifestou sobre o pedido dizendo que iria dispor as vacinas, no entanto, solicitou que os imunizantes que já estavam sendo reservados para São Paulo pudessem ser mantidos.

O Ministério da Saúde negou o pedido e ressaltou que as vacinas serão controladas pelo governo federal e caberá à pasta fazer a distribuição e logística do medicamento e por tanto todo imunizante que for fabricado pelo Instituto será do governo.

O Instituto Butantan não se manifestou ainda sobre a última atualização.

Outro fator que fez com que o governo federal emitisse esta nota foi a tentativa malsucedida em busca da vacina da AstraZeneca que vem sendo produzida na Índia.

Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!