A companhia aérea Gol impediu o embarque do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) em um voo no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, na última terça-feira (26), pois o parlamentar se recusava a usar máscara de proteção contra o novo coronavírus, item de segurança obrigatório a todos os passageiros. O deputado do PSL divulgou um vídeo na quarta-feira (27) em que se referia ao acessório como "focinheira ideológica".

O parlamentar é policial militar e foi eleito em 2018. É conhecida a sua recusa em não utilizar máscaras contra o novo coronavírus.

Neste mês, o Twitter revisitou antigas postagens do parlamentar e as marcou como publicações que contêm informações falsas e com potencial de desinformar sobre a Covid-19.

Em maio do ano passado, Silveira realizou uma transmissão ao vivo em uma rede social, depois que foi repreendido em um mercado. Na live, o parlamentar argumentou que o uso de máscaras “idiotiza” as pessoas. No mês seguinte, Silveira foi contaminado com o novo coronavírus.

Atestado médico

Na terça-feira (26), ele chegou a Cumbica, vindo do Rio de Janeiro, e estava aguardando uma conexão para Brasília. No embarque, ele mostrou um atestado médico, que o dispensava de usar máscara por sofrer de cefaléia (dor de cabeça) crônica.

A equipe da Gol não ficou convencida da justificativa e então começou o bate-boca. A Polícia Federal (PF) foi acionada para resolver o conflito. Após o incidente, a companhia aérea remarcou o embarque para a quarta-feira (27), porém o deputado teria que utilizar máscara.

Processo

Em Brasília, Daniel Silveira divulgou na manhã da quarta-feira (27) um vídeo em suas redes sociais em que comunicava que está movendo um processo contra a Gol e que já fez mais de quatro dezenas de voos sem utilizar máscara.

Silveira ainda citou a Lei 14.019, de julho do ano passado, que fala sobre a obrigatoriedade do uso das máscaras na circulação em espaços destinados ao público, para o combate à pandemia da Covid-19.

Calúnia

Em seu vídeo, Daniel Silveira ainda disse haver outra razão, além de seu possível descumprimento da lei, para entrar na Justiça contra a Gol.

O parlamentar alega que seu chefe de gabinete foi caluniado por uma das funcionárias da companhia aérea. A funcionária teria questionado o chefe de gabinete se ele a iria agredir. O G1 buscou informações sobre o episódio com a Gol e a PF, e até o fechamento da matéria não obteve respostas.

Fake news

Em seu vídeo divulgado na quarta-feira (27), Silveira declarou que vai continuar sua luta contra a “focinheira ideológica que não garante porcaria nenhuma”. Ele justificou sua atitude dizendo que no mundo todo não existem estudos científicos que atestem a eficácia das máscaras.

Diferente do que disse o parlamentar, as máscaras, sejam elas reutilizáveis ou cirúrgicas, são itens importantes para evitar a disseminação do novo coronavírus.

Foi o que disse, por exemplo, o infectologista Leonardo Weissmann em uma entrevista em julho de 2020.

O consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) citou um estudo lançado na revista The Lancet, uma das mais respeitadas na comunidade científica. O estudo mostrou que existe um risco de transmissão de 17% entre pessoas sem máscara e expostos a pessoas infectadas pelo Sars-Cov-2, os que estavam usando a máscara facial apresentaram 3% de chance de serem infectados.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!