O presidente da Ordem de Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, voltou a falar sobre um possível impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Segundo as informações divulgadas pela jornalista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo, a OAB já está debatendo sobre o assunto e decidindo quais serão os próximos passos.

No entanto, a instituição acredita que a participação do povo tem o papel muito importante neste processo.

Santa Cruz disse que se faz necessário continuar a discutir sobre o impeachment contra Bolsonaro, pois denúncias de crime de responsabilidade contra o mandatário são consideradas pelo OAB como graves.

No entanto, ressaltou que a agilidade e tempo para isso acontecer dependem das ruas e dos parlamentares no Congresso quererem pautar o assunto.

Outros órgãos e líderes, que podem impulsionar e pressionar para o impeachment acontecer, também disseram que o tema pode ganhar força quando o povo começar a ir para as ruas. Alguns afirmaram que após a vacinação os protestos pedindo o impeachment de Bolsonaro podem ganhar as ruas.

Motivos que pesam para o impeachment acontecer

Existem vários fatores que podem resultar no impeachment contra Bolsonaro. Um deles é a acusação feita pelo ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro sobre uma suposta interferência por parte do presidente na Polícia Federal.

Outra denúncia que pesa para Bolsonaro é sobre o dia em que ele estava participando de um ato que tinha como pauta estabelecer um golpe militar. O STF acatou a denúncia apresentada pelo Procurador-Geral da República, Augusto Aras.

O ato é considerado uma ameaça à democracia e vem sendo apurado pelo órgão competente. O ato aconteceu no dia 9 de abril de 2020, em frente ao Palácio da Alvorada.

As notícias crimes contra Bolsonaro também são muitas e vão desde a quebra de acordos que infringem a ética, honra à dignidade do cargo. Algumas das denúncias são baseadas em suposto insultos contra jornalistas.

O inquérito que investiga possíveis fake news contra membros do STF, que envolve pessoas que são próximas à família Bolsonaro, também vem causando peso para que o impeachment aconteça.

O caso das “rachadinhas” envolvendo um dos filhos do presidente, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), já era um peso, e depois que a revista Época divulgou uma matéria denunciando que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) fez relatórios para ajudar no caso, piorou ainda mais a situação para o presidente.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!