Em outubro do ano passado, Augusto Aras, o procurador-geral da República, reabriu uma investigação contra o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para apurar uma acusação de supostos pagamentos ilegais da empreiteira OAS ao parlamentar.

Em entrevista na última segunda-feira (11) ao site Metrópoles, Maia negou que as críticas mais incisivas que tem feito nos últimos tempos ao líder do Executivo estejam relacionadas com a decisão da PGR.

Segundo Rodrigo Maia, suas críticas mais incisivas ao Planalto estão relacionadas com a postura do presidente da República em relação à pandemia do novo coronavírus.

Indignação

Maia afirmou que qualquer pessoa se sente indignada com os números da Covid-19 no Brasil e a falta de um plano de vacinação.

Sobre a possibilidade de a reabertura do inquérito por Augusto Aras ter sido feita a pedido de Jair Bolsonaro, Maia diz não acreditar nesta possibilidade. O deputado afirmou que se tivesse alguma informação sólida que comprovasse isso, já teria feito uma denúncia.

O presidente da Câmara dos Deputados ainda comentou que acredita que a demora do Governo federal em adquirir doses da vacina contra a Covid-19 e a falta de elaboração de um plano de vacinação pode levar a um processo de impeachment contra Bolsonaro em poucos meses.

Para Maia, o tema da vacina está começando a entrar no Parlamento por meio de uma pressão muito grande da sociedade, e que talvez por conta disso, Bolsonaro possa vir a sofrer um processo de impeachment muito duro se não se organizar rapidamente, pois o impeachment "é resultado da pressão da sociedade", disse Maia.

Mas o parlamentar disse que não irá encaminhar a abertura de um processo de impeachment agora que ele está prestes a encerrar sua gestão.

Lavo minhas mãos

Ele alegou que se o fizesse, iria estar apenas criar confusão em um momento em que as atenções estão voltadas para a escolha do novo presidente da Câmara dos Deputados, além da casa legislativa estar de férias.

Maia disse que este papel, irá caber ao novo presidente da Câmara.

Disputa pela presidência da Câmara

Perguntado sobre a disputa que está acontecendo na Câmara para decidir quem será o novo presidente a partir do dia 1° de fevereiro, Rodrigo Maia se mostrou confiante na vitória do candidato que está apoiando, o deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP).

O candidato de Maia também está sendo apoiado por uma coligação formada por 11 partidos que irão enfrentar o candidato que tem apoio do Palácio do Planalto, o parlamentar Arthur Lira (PP-AL).

Maia 2022

Questionado se haveria uma possibilidade de lançar sua candidatura à presidência da República em 2022, Rodrigo Maia afirmou que sua avaliação pessoal teve uma grande melhora, porém ainda distante de ter seu nome considerada para a disputa do cargo, mas como um nome forte para apoiar algum nome que ser candidato para a eleição presidencial do próximo ano, um dos nomes que podem ser considerados para a presidência da República é o de seu colega de partido e ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta.

"Um dos quadros de mais qualidade que o Democratas tem", elogiou Maia.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!