O vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), anunciou que irá exonerar um assessor após conversas de seu auxiliar terem sido vazadas e divulgadas no site O Antagonista. O assessor de Mourão se chama Ricardo Roesch Morato Filho. Ricardo entrou em contato com o chefe de gabinete de um deputado federal para tratar de preparativos para a hipótese de o vice-presidente assumir o cargo de Jair Bolsonaro (sem partido). O site somente divulgou o conteúdo do diálogo, não revelando a identidade do chefe de gabinete ou do parlamentar para quem ele presta serviço.

A conversa

A conversa mostra um tom cordial entre os dois assessores. Depois dos cumprimentos iniciais, Roesch fala para o chefe de gabinete do parlamentar que, quando o deputado quiser marcar um encontro, basta avisar. O chefe de gabinete então agradece e diz que, provavelmente, o deputado tem interesse no encontro com Mourão. Morato continua dizendo que tem entrado em contato com assessores de parlamentares mais próximos e explica que é sempre bom estarem preparados. O interlocutor então mostra espanto e pergunta para o que se deve estar preparado.

Roesch diz então que não é nada preocupante, somente uma articulação normal e explica que o vice Hamilton Mourão dividiu a ala militar. Ele diz que anteriormente era o general Augusto Heleno quem estava no comando, mas agora os militares estão divididos, pois o “capitão” [Jair Bolsonaro] está cometendo muitos erros na gestão da pandemia da Covid-19, e finaliza afirmando que o vice-presidente é mais bem preparado como político.

O chefe de gabinete responde que não poder ter esse tipo de diálogo, que seu chefe não iria gostar.

Exoneração

No fim da tarde de quinta-feira (28), Mourão falou com a imprensa e demostrou insatisfação com a atitude de Roesch e afirmou que o assessor será exonerado. "A conversa houve, algo que me deixou extremamente chateado.

O único patrimônio que eu tenho é minha honra, e minha honra... Ela está ligada à lealdade. São fatores de que não abro mão. Posso às vezes discordar de algumas coisas do presidente Bolsonaro, mas jamais vou trabalhar contra ele. E esse meu assessor avançou um sinal totalmente fora do foco, fora daquilo que são as minhas orientações.

Como consequência, ele será exonerado brevemente", disse o vice-presidente.

A conversa entre Roesch e o chefe de gabinete de um deputado federal ocorreu pelo aplicativo de mensagens WhatsApp. Ao site O Antagonista, Roesch negou que tenha sido ele o autor das mensagens. Ao jornal O Globo, Mourão afirmou que Roesch disse que teve seu celular invadido por um hacker, mas que ele, Mourão, não acredita nesta versão.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!