O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) compartilhou no domingo (28) em seu perfil no Twitter, um vídeo feito por uma empresária que faz críticas à decisão tomada pelo Governo do Distrito Federal (DF) de adotar o lockdown, afirmando que "lockdown mata!". Na legenda da publicação, Jair Bolsonaro escreveu que "o povo quer trabalhar".

No vídeo, a empresária aparece fazendo um depoimento direcionado ao governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), dizendo que é contra o fechamento de estabelecimentos comerciais e serviços. Ela alega que está falando em nome de seus funcionários e de sua empresa.

A empresária em sua fala diz que tiveram um ano difícil e que neste momento em que os negócios estão começando a se recuperar, o governador manda parar as atividades. Ela pediu que o governador não tomasse essa atitude, pois eles precisam trabalhar, disse a empresária.

A justificativa da empresária é que sua empresa estaria cumprindo todos os protocolos de segurança exigidos, como a utilização de máscaras, o uso de álcool gel e distanciamento entre os funcionários. O vídeo foi gravado dentro de uma sala em que são mostradas pelo menos umas vinte pessoas de uniforme e aglomeradas, que também estão protestando contra o decreto.

Todos estão usando toucas e máscaras. A empresária em sua fala garantiu que todos estão fazendo tudo para que a situação dê certo, e pediu para o governador fazer a parte dele, afirmando que todos os presentes votaram e acreditam em Ibaneis Rocha.

Ela pediu ainda para que o governador do DF colocasse leitos nos hospitais e providenciasse ônibus para a população, e ainda disse que o lockdown não salva as pessoas, e sim as mata de fome. As imagens terminam com todos gritando em uníssono: "Governador, deixa a gente trabalhar!".

Na sexta-feira (26), foi determinado pelo Distrito Federal que todos os serviços não essenciais fossem fechados a partir das 0h de sábado (27), para impedir o avanço do coronavírus.

A decisão foi tomada depois que a ocupação dos leitos da UTI (Unidade de Terapia Intensiva) destinados aos pacientes com covid-19 beirarem o limite. O índice estava beirando os 100% no final da tarde da sexta-feira, a medida tem validade até pelo menos 15 de março.

2015

Em outra publicação no Twitter, Bolsonaro criticou o fechamento de estabelecimentos comerciais por governadores do país.

O mandatário minimizou o fato de os hospitais estarem lotados, afirmando que a saúde do país sempre teve problemas.

Para sustentar seu argumento, o presidente publicou a imagem de um artigo de 2015 que falava sobre falta de leitos nos hospitais e replicou mensagem já publicada no Twitter, com as mesmas palavras por um usuário da rede social. Antes de Bolsonaro, Mário Frias, o secretário da Cultura havia publicado a mesma mensagem.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!