Em uma live transmitida nesta quinta-feira (18), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) conversou com o jornalista Kennedy Alencar, do portal UOL.

Na entrevista, Lula falou sobre a atuação do governo Jair Bolsonaro em tempos de pandemia, as Eleições presidenciais de 2022 e voltou a criticar duramente os procuradores da Lava Jato e o ex-juiz Sergio Moro.

Lula comenta sobre sua condenação no caso do tríplex

Desde a época do julgamento do caso do tríplex, Lula diz que é inocente, e nesta quinta-feira voltou a criticar a atuação de Moro e procuradores em seu caso.

"Sou refém da maior mentira contada nesse país. Uma mentira jurídico-política inventada pelo Moro, inventada pela quadrilha da Lava Jato de Curitiba, inventada pelo juiz do TRF-4 do Rio Grande do Sul, inventada pela Rede Globo de Televisão, ou seja, eu sou refém da maior mentira já contada na história desse país, desde que aqui Cabral colocou os pés. [Tudo isso] para evitar que eu pudesse ser candidato à Presidência da República (...). A coisa que eu mais espero é que eles tomem a decisão de anular todas as mentiras contadas contra mim, anular todos os processos contra mim. Se quiser começar de novo, comecem [a julgar] de novo", afirmou Lula.

Na live do UOL, o político diz que provou ser inocente: "eu já provei a minha inocência, eu agora tô esperando que provem é a minha culpa!

Porque eu estou querendo é que apareça alguém dessa quadrilha dos procuradores, dos delegados que fizeram o inquérito, dos juízes que me julgaram e diga qual foi a coisa que eu cometi de erro nesse país".

Bolsonaro e a pandemia

O ex-presidente fez várias críticas à atuação do governo federal na pandemia da Covid-19: "ano passado eu fiz um pronunciamento sobre a questão da vacina no Brasil.

Um pronunciamento, acho que de 12 minutos, mostrando a irresponsabilidade do governo brasileiro no trato de uma questão que interessava a 220 milhões de brasileiros. Acontece que o Bolsonaro negava e continua negando (...). Eles passaram metade do tempo tentando vender remédio que não servia pra nada (...)", afirmou Lula.

Lula em 2022

Sobre uma possível candidatura à presidência em 2022, Lula disse que existe a possibilidade, mas há outros nomes no PT.

“Meu nome está à disposição, porém, tem o [Fernando] Haddad e outros nomes no PT que podem encabeçar nossa chapa”, disse.

Sobre uma frente ampla da esquerda com um cabeça de chapa que não seja do PT, ele ponderou: "objetivamente, eu acho que tem que ter candidato no primeiro turno. Veja, como é que você vai escolher um candidato de uma frente ampla? Como é que cê vai escolher? Qual é o critério? (...). A melhor prévia que tem é a disputa no primeiro turno. Todo mundo que puder lança candidato com o compromisso de que no segundo turno todo mundo se junta".

Carreira política de Lula

Luiz Inácio Lula da Silva está com 75 anos. Nordestino de Pernambuco, governou o Brasil de 1º de janeiro de 2003 a 1º de janeiro de 2011. Deixou a presidência com recorde de popularidade de 87%.

Ex-sindicalista e ex-metalúrgico, ele concorreu às eleições presidenciais por três vezes, antes de ser eleito em 2002 e reeleito em 2006.

Lula foi preso na Operação Lava Jato após o julgamento do caso do tríplex de Guarujá. Em julho de 2017, Lula foi condenado por Sergio Moro, então juiz da Lava Jato na primeira instância. O político sempre alegou parcialidade do juiz que, posteriormente, se tornou ministro de Bolsonaro.

Atualmente, Lula tenta se livrar dos impedimentos judiciais para poder concorrer à presidência nas eleições de 2022.

Siga a página Lava Jato
Seguir
Siga a página Lula
Seguir
Siga a página Eleições
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!