O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli afirmou durante entrevista ao "Canal Livre", da TV Band, no último domingo (21), que os inquéritos que apuram atos antidemocráticos e fake news no país identificaram que houve financiamento internacional a pessoas que usam perfis em redes sociais para atacar instituições brasileiras, em especial o STF e o Congresso Nacional.

O ministro não revelou quem são os envolvidos, mas os inquéritos que vêm sendo conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes estão seguindo com a apuração destas informações ditas por Toffoli, que as considerou "gravíssimas".

"A história do país mostrou ao que isso levou no passado. Financiamento a grupos radicais, seja de extrema-direita, seja de extrema-esquerda, para criar o caos e desestabilizar a democracia em nosso país", disse Toffoli.

Críticas contra as apurações

As investigações que apuram disparos de Fake News contra ministros e outras com intensão de distorcer algum assunto se iniciaram em 2019, com o intuito maior de inibir que os agressores continuassem com os ataques.

No entanto, este inquérito já sofreu algumas críticas de especialistas e políticos por se tratar de uma iniciativa de Toffoli sem antes receber primeiramente um consentimento da Procuradoria Geral da República.

Dentre os investigados estão deputados, empresários e donos de blogs que sempre apresentam algum tipo de ligação com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e sofreram mandados de busca e apreensão e quebra de sigilo.

Fato polêmico

Um dos episódios mais polêmicos foi quando Moraes pressionou o Facebook, por meio de multas, caso não bloqueasse contas de alguns investigados. A empresa então decidiu obedecer e tirou as contas que eram alvo do inquérito do ar.

A atitude de Moraes sofreu algumas críticas, pois alguns afirmaram que as decisões dele não poderiam ultrapassar as fronteiras do Brasil.

As apurações sobre acontecimentos antidemocráticos começaram no ano passado, depois que houve uma série de manifestações na Esplanada, em Brasília.

Toffoli disse que a suspeita de financiamento internacional revela que as pessoas que compõem os grupos não sofrem problemas mentais e afirmou que existe uma organização por trás destes grupos que tentam derrubar inclusive a imprensa conservadora e entregam informações verdadeiras.

"Temos que estar atentos, e o inquérito está em excelentes mãos", disse o ministro.

Recentemente o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) recebeu uma ordem de prisão por atacar ministros do STF em vídeo. Nas imagens ele aparece insultando e desafiando os magistrados para debater sobre leis. Silveira foi um dos que virou alvo de investigação por conta de atos antidemocráticos e propagação de suposta fake news.

Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!