Deputados federais se indignaram com as postagens da colega de Câmara Bia Kicis (PSL-DF), que incentivou um motim da Polícia Militar do estado da Bahia.

Kicis postou em suas redes sociais na segunda-feira (29) declarações que incentivavam um motim contra o governador da Bahia, Rui Costa (PT), depois da morte do soldado da PM Wesley Soares Góes, ocorrida no domingo (28).

Fake news

Em sua postagem, a deputada federal declarou que um soldado da PM baiana foi abatido por seus próprios companheiros por ter se recusado a "prender trabalhadores".

Ele disse "não" para as ordens "ilegais" do governador, de acordo com Kicis.

A parlamentar ainda declarou que o soldado deveria ser considerado um herói. "Chega de cumprir ordem ilegal", tuitou a parlamentar.

A deputada, que é presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados (CCJ), afirmou serem ilegais as ordens do governador da Bahia, Rui Costa, e que elas não devem ser cumpridas. Após a repercussão negativa de sua publicação, Bia Kicis apagou o tuíte.

Na reação dos deputados, eles argumentaram que a parlamentar, apoiadora do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), desrespeitou a Constituição Federal e que ela não está apta a presidir a CCJ.

Sem condições

A deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL-RS) é a coordenadora da legenda na CCJ e fez duras críticas a Bia Kicis, afirmando ser inacreditável que a presidente da CCJ, "que deveria ser um exemplo de respeito à Constituição", fique à vontade para espalhar fake news.

Fernanda Melchionna continuou dizendo que há algum tempo seu partido alerta para os efeitos negativos para a população do "adoecimento mental de policiais".

Bia Kicis, segundo Melchionna, usou o fato de um PM ter tido um surto e ter sido morto por outros policiais militares que estavam se defendendo para tentar ter ganhos políticos com a tragédia.

A parlamentar do PSOL também afirmou que enquanto Bia Kicis seguir na presidência da CCJ seu partido irá se empenhar para que a comissão não funcione.

Extremista

O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) classificou a parlamentar como extremista e relembrou que Bia Kicis já havia feito discurso na Câmara defendendo intervenção militar e agora incentivava um motim da PM da Bahia.

Marcelo Freixo afirmou que novamente a deputada bolsonarista utiliza seu cargo para incentivar a violência contra o Estado de Direito e a democracia.

O parlamentar Orlando Silva (PCdoB-SP) lamentou o fato ocorrido na Bahia e também criticou Bia Kicis, afirmando que ela está fazendo é estimular uma insurreição da PM contra o governador da Bahia.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!