Ao se recusarem a usar máscaras em público, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello complicam a situação do próprio Governo na CPI da Covid, é o que afirmam líderes governistas em conversas reservadas com o blog do jornalista Valdo Cruz no portal G1. Segundo os entrevistados, essa atitude reforça a acusação de que o governo minimiza a pandemia do coronavírus.

Lula

Logo após o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ter reconquistado seus direitos políticos no Supremo Tribunal Federal (STF), o petista fez um pronunciamento em que estava usando máscara e defendeu a vacinação.

Bolsonaro então passou a ser visto utilizando máscara em eventos públicos, porém não durou muito tempo a obediência do mandatário às recomendações das autoridades sanitárias e do próprio Ministério da Saúde e o presidente voltou a dispensar o equipamento de segurança, como pôde ser visto na segunda-feira (26) na viagem que fez à Bahia e também na sua ida a Goiás no último dia 17.

Pazuello

Na opinião dos líderes governistas e de assessores do presidente da República, o pior é o ex-ministro Pazuello, pois ele irá prestar depoimento na CPI da Covid. No último final de semana, Pazuello foi visto em um shopping de Manaus sem estar usando máscara. A atitude do general foi considerada inadequada pelos assessores presidenciais.

O passeio do general Pazuello em um shopping de Manaus no último domingo (25) não teria maior repercussão se o aliado de Bolsonaro estivesse cumprindo a determinação do Ministério da Saúde de usar máscara. O militar foi fotografado sem o item de segurança e o caso repercutiu no Twitter.

O shopping divulgou nota em que dizia que o ex-ministro entrou no local sem máscara e recebeu orientação para ir a um quiosque para comprar uma máscara.

Segundo a empresa, Pazuello obedeceu ao pedido e enquanto esteve no shopping estava utilizando máscara. "Os protocolos de segurança do Manauara Shopping são, porém, rigorosos e o ingresso do ex-ministro não deveria ter ocorrido.", dizia a nota.

Provocação

De acordo com lideres governistas, Pazuello está provocando a CPI, o que faz com que fique mais difícil seu depoimento à comissão.

A CPI da Covid será instalada na terça-feira (27) no Senado. Serão eleitos presidente e vice-presidente, além de ser designado quem será o relator. O governo é minoria na comissão de 11 membros --o Planalto tem quatro membros.

A previsão é de que o presidente da CPI seja o senador Omar Aziz (PSD-AM) e a vice-presidência fique com o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que foi o autor do pedido de criação da Comissão Parlamentar de Inquérito. Também se espera que Aziz indique como relator o senador Renan Calheiros (MDB-AL).

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!