Matéria publicada pela revista Veja nesta terça-feira (21) mostrou que o vereador do Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) e filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não aprovou a indicação da atriz Regina Duarte para comandar a Secretaria de Cultura em substituição ao ex-secretário da pasta, o dramaturgo Roberto Alvim. O ocupante anterior do cargo foi exonerado por exibir um vídeo com claras menções ao regime autoritário comandado por Adolf Hitler. No vídeo, Alvim parafraseou o ministro da propaganda do regime de Adolf Hitler, Joseph Goebbels e causou grande repercussão negativa tanto dentro como fora do Brasil.

Comunista

Para o filho ‘02’ de Bolsonaro, a atriz é uma ‘comunista’. Para ele o nome escolhido para comandar a Secretaria de Cultura deveria ter um perfil que fosse mais identificado com a “causa bolsonarista’, afirma a matéria assinada por Cássio Bruno.

A revista Veja afirma ainda que a irritação do filho do presidente teria sido testemunhada por pessoas que estavam presentes no gabinete do irmão de Carlos Bolsonaro, o senador Flávio Bolsonaro (sem partido). A revolta de Carluxo (apelido de Carlos) teria acontecido em Brasília, na semana passada.

Além de ‘comunista’, Regina, na Opinião de Carlos, tem um outro ‘problema’ ela é uma ‘artista global’, isto quer dizer que ela é uma funcionária da emissora à qual seu pai declarou guerra, ou seja, de acordo com a reportagem, Carluxo entende que a escolha de Regina Duarte é ‘péssima’.

'Que deselegante'

A frase acima, que virou meme, da jornalista da Rede Globo, Sandra Anemberg, poderia ser usada para classificar a atitude de Carlos Bolsonaro, que pouco depois da reportagem ser publicada, em seu Twitter respondeu com palavra de baixo calão para negar a informação dada pela publicação.

Apoio

Se por um lado a indicação da atriz Regina Duarte decepcionou muitos de seus colegas artistas mais identificados com a esquerda, a atriz recebeu o apoio de algumas personalidades, como por exemplo, a primeira-dama Michelle Bolsonaro que demonstrou seu apoio à escolhida de Bolsonaro para comandar a área cultural do governo. Michelle comentou uma foto da atriz no Instagram e afirmou que acredita que a atriz irá ter total comprometimento com o novo desafio.

Márcio Garcia foi outro que resolveu deixar registrado seu voto de confiança na atriz, ele disse que é hora de torcer pelo Brasil e não para ‘ideologias partidárias’. Outra colega de profissão de Regina, Maitê Proença também demonstrou seu apoio, e disse que Regina Duarte é uma ‘trabalhadora das artes desde a adolescência’, segue nesta linha o cantor gospel Davi Sacer e a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP).

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!