De acordo com um estudo realizado pela FAO – a Agência da Organização das Nações Unidas que se dedica à Alimentação e à #Agricultura - um estudo feito em 2013 apontou que um terço dos alimentos produzidos no mundo é desperdiçado. Ao passo que milhões de pessoas ao redor do mundo passam fome ou necessidades alimentares mínimas.

No caso do Brasil, o desperdício chega a 40 toneladas por dia, conforme dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, a Embrapa.

O estudo da FAO mostra que mais da metade dos alimentos desperdiçados são perdidos em uma dessas fases produtivas: na própria produção, na manipulação após a colheita e na armazenagem.

Publicidade
Publicidade

O que sobra se perde no processamento, na distribuição e no consumo. Daí conclui-se que quanto mais tarde os produtos são perdidos na cadeia alimentar, maior a consequência danosa para o meio ambiente. Isso se evidencia quando se olha o custo inicial da produção: basta somar os custos de processamento, transporte e armazenamento.

A Embrapa estima que a quantidade desperdiçada de alimentos por ano no país seja suficiente para saciar a fome de aproximadamente 19 milhões de habitantes. Dezenove milhões de pessoas que poderiam ser alimentadas diariamente.

O que se pode fazer de início?

De uma maneira geral, o brasileiro ainda não se habituou a aproveitar os alimentos integralmente. Isso se deve em parte de que, em geral, não faz parte da cultura do brasileiro o aproveitamento integral. Melhor dizendo: para onde vão talos e cascas, por exemplo?

Bons exemplos começam com aqueles que fazem da cozinha um ofício: é o caso do chef Alex Atala.

Publicidade

Ele criou um cardápio com pratos elaborados só com partes dos alimentos que usualmente vão para o lixo. Cascas de frutas dão excelentes compotas. Talos e folhas de verduras são ótimas para saladas e complementos de sopas.

Outro ponto importante: cada um de nós pode participar, comprando apenas o necessário. Sirva-se só daquilo que se quer comer. Na etapa de preparação, use de maneira integral os alimentos. Além de enriquecer o prato, diversifica o sabor. E minimiza o desperdício. #Sustentabilidade #Alimentação Saudável