Morreu na noite dessa sexta-feira (18) o músico Marcelo Yuka. Ele estava internado no Hospital Quinta D'or após sofrer um AVC, no dia 2 de janeiro. O estado de saúde dele era considerado grave. Esse não é o primeiro AVC que o músico sofreu. No meio do ano passado ele já havia sofrido o primeiro. Ainda não há informações sobre o velório e enterro. Famosos usaram as redes sociais para prestar as últimas homenagens.

Yuka era engajado com causas sociais. Ele defendia muito a questão de acessibilidade para deficientes físicos e também falava sobre questões de cor e raça. "O erro é como as pessoas tratam os deficientes.

A educação é o sangue desta mudança", disse em uma entrevista há alguns anos.

Marcelo foi vítima de vários tipos de violência. No ano 2000 ele foi atingido por tiros ao tentar impedir um assalto. Ele tentava impedir que 8 bandidos levassem o carro de uma mulher na zona sul do Rio. Ele ia para casa quando percebeu que bandidos fechara as ruas com dois carros para assaltar os motoristas que passavam por ali. Ele deu ré na direção dos bandidos, que reagiram atirando no carro do músico. Alguns tiros acertaram a coluna do baterista e o deixaram paraplégico.

Esse fato afetou um pouco a carreira do músico. Ele ficou impossibilitado de tocar bateria. No entanto, continuou compondo suas músicas. Yuka escreveu letras sobre temas como violência urbana, racismo e desigualdades sociais.

Em 2001 saiu da banda dizendo que foi expulso pelos outros integrantes por não concordar com os rumos que a banda tomava.

Alguns anos depois bandidos tentaram levar seu carro. Eles tentaram atropelar o músico, mas felizmente eles não conseguiram dar partida no carro que era adaptado para paraplégicos.

Yuka era muito ativo nas redes sociais. Sua última postagem falava sobre violência. "O povo confunde justiça com vingança", dizia um cartaz que ele segurava.

Famosos fazem homenagens ao músico

O músico também tinha participação política. Ele já foi candidato a vice-prefeito do Rio. Alguns políticos com quem o músico conviveu postou homenagens.

"Xará. Que falta você vai fazer! Como é difícil escrever algo agora. Sentirei muita falta das suas gargalhadas, dos apelidos, dos sonhos, da sua inteligência e principalmente da sua forma de amar o mundo", escreveu Marcelo Freixo.

Eduardo Suplicy também deixou os pêsames à família. Ele escreveu que Marcelo escreveu músicas que tratavam sobre desigualdade social. "Bravo guerreiro", dizia parte do texto.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Música
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!