Anúncio
Anúncio

Nesta quarta-feira (9), sete dias após ter sido nomeado presidente da Apec (Agência de Promoção de Exportação do Brasil), Alex Carreiro foi demitido, na primeira queda do governo Bolsonaro [VIDEO].

Ernesto Araújo, ministro de Relações Exteriores, anunciou a saída de Alex Carreiro e indicou o embaixador Mario Vilalva ao presidente Jair Bolsonaro [VIDEO], devido à sua experiência na área de “promoção de exportações”.

Havia comentários internos relacionados à instabilidade do presidente dentro do órgão de funcionamento da agência, onde o ministro afirma que a saída partiu do pedido de Alex Carreiro, com base em relatos internos, o ex-presidente da Apex em pouco tempo que exerceu o cargo vinha demitindo concomitantemente os funcionários, com a pretensão de substituí-los por pessoas de sua confiabilidade.

Nesta transição, foi dispensada do cargo Ana Seleme, esposa de uma das pessoas de confiança de Michel Temer. Segundo as pessoas que constituem a agência, Carreiro ainda não havia terminado com seu planejamento na agência em que estava responsável, pois pretendia aumentar a margem de demissões.

Advertisement

Ernesto Araújo, ministro de Relações Exteriores, trata do caso Apex

Esse caso foi relatado a Araújo para que intermediasse sobre a situação que o órgão público enfrentava por ter seus funcionários caçados, sendo feito isso, Araújo lhe comunicou para que encontrasse um meio de trabalhar com moderação, mas persistiu em continuar com a forma que procedia. Com isso, o ministro solicitou que renunciasse ao cargo, conservando a equipe por possuir um perfil aceitável em busca de uma direção moderada para a direção do setor.

A relação de trabalho do ex-presidente com o grupo da Apex indicava uma condição conturbada segundo os relatos da agência, que, por sua vez, não falava língua inglesa com fluência, que é um dos itens no perfil para ocupar o cargo da Agência de Promoção de Exportação do Brasil.

Advertisement

Carreiro nasceu na cidade de Poranga, situada no estado do CE, graduado em publicidade e pós-graduado em gestão pública, teve realizado seu trabalho em locais como Secretaria Nacional de Portos, pela Comissão Nacional de Autoridades nos Portos e pelo Sebrae.

Foram convidados dois diretores para Apex, nomes dados pelo ministro Araújo, que permanecem na diretoria de gestão corporativa, assumindo o advogado Márcio Coimbra e a empresária Letícia Catelani, entrará na diretoria de negócios, pois teve desenvolvido um bom trabalho na diretoria do PSL [VIDEO].

O embaixador Mario Vilalva exerceu o cargo chefe da embaixada do Brasil em Berlim, serviu em diversos postos no exterior e foi indicado por Araújo para presidência da Apex.